Movimenta Barreiro: coletivo cultural de BH que promove cultura e arte nas periferias

Formado por jovens, grupo realiza eventos que envolvem artistas locais da Região do Barreiro e de outras cidades

0
98
Maria Araújo
Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG) |
O Movimenta Barreiro é um coletivo cultural formado por jovens periféricos da Região do Barreiro, em Belo Horizonte. Desde 2014, o grupo promove atividades artísticas, culturais e eventos na Pista de Skate do local, no Viaduto Santa Margarida, no Clube Comercial Barreiro, no Viaduto das Artes, dentre outros lugares da região. Segundo Letícia Fox, o coletivo busca promover e apoiar a cultura urbana independente e dar voz e vez aos artistas locais. E desse modo, descentralizar as alternativas culturais capital mineira, além de ofertar ações representativas, em que jovens pretos, favelados e LGBTI+ possam ser fomentadores e consumidores de cultura.

“O Movimenta Barreiro nasceu e cresceu com a necessidade de descentralizar as ações culturais e poder produzir nossa própria cultura, no nosso espaço, com as nossas pessoas. E a gente ganha muita força com a juventude que se identifica com o que fazemos”, relata a integrante do coletivo.

:: Rede Minas: programa sobre Cultura tem horário de exibição reduzido, e artistas protestam ::

Ela reforça que a Região do Barreiro sofre com a defasagem de oportunidades artísticas e culturais, algo que o coletivo propõe modificar. As atividades realizadas pelo grupo também abraçam jovens das cidades e bairros periféricos ao redor, como Betim, Ibirité e Contagem.

Eventos realizados

A “Batalha Clandestina – FaraOeste” é uma batalha de MCs que ocorre desde 2016, porém, segue suspensa por causa da pandemia. A iniciativa, que acontecia às quartas-feiras, funcionava como uma pequena batalha à capela e sem a presença de juízes.

A juventude à frente da organização presenciou o crescimento do evento, que chegou a receber em torno de mil pessoas nas últimas edições. “Na FaraOeste, a gente sempre tem pocket show de artistas independentes, a gente sempre recebe a galera para poder fortalecer, dar esse espaço e dar protagonismo para jovens”, aponta Letícia. Em outros eventos, como “#1 Dia de Trance” e no “1 dia de Trap”, mais de 170 grupos e artistas já foram contemplados.

:: “Nem sob a ditadura a cultura foi tão chutada como agora”, avalia Juarez Fonseca ::

Além disso, o Movimenta Barreiro também promove diálogos sobre juventude e território, como a atividade “O genocídio da juventude negra e a precariedade de cultura para a periferia”, que contou com a participação de Eduardo Taddeo, ex-integrante do grupo Facção Central e a exposição virtual “Cara da pista”.

Mais Informações

Acesse os perfis @movimenta_barreiro e @faraoeste no Instagram.

Fonte: BdF Minas Gerais

Edição: Larissa Costa

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.