Acervo BF | Resenha do disco ‘Declaração de Guerra’ do MV Bill

Publicado em 02.10.2002, última edição em 01.10.2020

Capa do álbum

Artista: MV Bill
Título: Declaração de guerra
Gravadora: Natasha Records / BMG Brasil

O Soldado do Morro está de volta, dessa vez declarando guerra. Mais maduro e bem produzido. Tudo melhor, mas com a mesmas ideias. Isso não é um ônus, mostra que ele continua com as mesmas ideias e o mesmo discurso, sempre cantando em nome da favela. O encarte do disco vem com duas capas, uma com o rosto do bebê que aparece no vídeo clipe da música “Só Deus pode me julgar” e outra com uma mira sobre o rapper com alguns alto falantes à sua volta.

As duas capas estão no mesmo encarte, é só virar de cabeça para baixo para escolher qual você quer usar como capa principal. Não entendi o porquê do bebê na capa e no clipe, na capa do CD até que ficou bom, agora no vídeo…

As participações ficam por conta de:

Charlie Brown Jr. na faixa “Cidadão comum refém”, não gostei do instrumental, mas a letra é uma das melhores do disco, a levada ficou louca e o refrão gruda na orelha;
K-milla e Nega Gizza na faixa “Só se for ‘D'”, instrumental muito bom e se liga no refrão – “quem não tem dinheiro nunca vai pertencer / a classe A,B,C só se for D”. K-Milla também participa da faixa “L.Gelada – 3 da madruga”, são duas músicas em uma e as duas são muito boas. “L.Gelada” é a melhor;
Mano Juca e Gordo participam da faixa “Marginal menestrel”, mistura de Rap e samba; Novamente uma faixa com participação de K-milla, juntamente com Buiú dadoze, na faixa “Fé em Deus”.

K-mila é irmã de MV Bil e Buiú dadoze é um velho conhecido da época da Aticon (Associação Atitude Consciente). Já cantaram juntos em uma música da coletânea ‘Tiro Inicial’ em 1993, Buiú era do grupo N.A.T (Negros Acima de Tudo) e Bill era do Geração Futuro.

Outras músicas do disco merecem destaque:

Contracapa digitalizada do nosso acervo

“Inconstitucionalissimamente” – nessa todas as rimas terminam em “ente”, o título não é dito na letra, a base ficou muito boa, produção de Ganja Man e Zé Gonzales;
“Camisa de força” – Essa o público já conhece, mas com outro título e outro instrumental. Saiu no disco do Kl Jay como “Só mais um maluco” e ganhou o prêmio Hutus de melhor música em 2001;
“Dizem que sou louco” – Nessa usou trechos da música “Na rua, na chuva, na fazenda” do Hyldon, tem um pequeno trecho da letra que é cantado em espanhol. Outro grande nome do Rap brasileiro usou a mesma música há quase 10 anos atrás, lembram?;
“Mina de fé” – Nessa usaram partes da música “Samurai” de Djavan;
“Soldado morto” – Continuação da música “Soldado do morro”, dessa vez o soldado perdeu;
“Declaração de guerra” – Não é só pelo nome da música, mas pela letra é a única que tem a ver com o título.

Outras faixas“Emiví” e “Testemunho”

Observação – Por pouco o disco não fica de fora do prêmio Hutus. Até parece que a data limite para que os grupos pudessem participar da premiação, foi mudada para que “Declaração de guerra” pudesse participar. No ano passado era até 1º de agosto esse ano mudou para 28/09, é muito estranho. Para o grupo participar do prêmio precisa ter lançado o trabalho entre 5 de agosto de 2001 e 28 de setembro de 2002 quando o certo seria 5 de agosto de 2002, um ano.

Ouça o álbum completo

 

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.