O Brasileiro Sono TWS e o Jamaicano BadFX lançaram o álbum ‘Together’

Capa do álbum

Sempre digo que existem apenas dois tipos de Rap – o bem feito e o mal feito. Gosto é gosto, mas identifico boas produções até em músicas que não gosto e vice-versa. Fazer Rap na sua essência tem sido uma escolha pra muita gente, sem seguir os modismos e preservar a raiz. O beatmaker Sono TWS lançou um disco em parceria com o MC jamaicano BadFX. O MC mora em Londres e faz parte do grupo Omniverses. O nome do disco é ‘Together’, foi lançado pelo seu próprio selo, o Tired of People. Tem a participação de outros artistas da Ominiverses (Vague, Merklynn e Teknical Development.IS), mixagem de Tiago Frugoli e a masterização é do renomado produtor alemão Figub Brazlevic.

Também participam do disco Ray Vendetta (Triple Darkness), a cantora Ruchelle Scott e Hey!zeus.I ou apenas .i (Obba Supa). A arte da capa ficou por conta do norte-americano Elijah Anderson.

Assista ao vídeo da música “The door”

Sono conheceu Figub quando o alemão esteve em São Paulo, conversando eles descobriram um elo entre os dois, o jamaicano BadFX. O beatmaker brasileiro disse que estava fazendo música com ele, o alemão por sua vez já havia trabalhado com o MC e eram amigos. Essa foi a deixa para ele fazer a masterização desse trabalho, que ficou um peso só. Linhas de baixo, bumbos pesados, caixa estralando, vários samples, bons MCs e o resultado foram 11 faixas ótimas. Não classifico como boombap, Rap 90 ou qualquer outro rótulo, é simplesmente Rap bem feito, bem produzido, bem mixado. Todos os elementos podem ser ouvidos, quando você der o play já vai sentir a pegada na linha de baixo utilizada na abertura, “Welcome”. Em seguida uma paulada, a faixa “Damn shame”, variação de samples que vão e voltam, reforçam o refrão e no final uma “sobra” de batidas para alegria dos DJs.

Assista a um vídeo do grupo Omniverses

A fórmula é simples – Sample + Batida + Rima – mas a execução e qualidade individual é que vai fazer a diferença no resultado final. Minha preferida é a faixa “Spread love”, com participação da cantora e também beatmaker londrina, Ruchelle Scott. Uma das faixas é uma homenagem e se chama “T.W.S”, que é a sigla da Crew de Graffiti de Sono em inglês – Os Meias de Lã ou The Wool Socks. Nessa faixa o chiado do vinil, de onde um dos samples foi tirado, está presente do início ao fim. É um disco que pode ser ouvido de ponta a ponta, sem pular faixas, minha única ressalva é não ter a participação de um DJ. Por enquanto o disco está disponível apenas no bandcamp, mas no começo de março vai estar em outras plataformas. Vale ressaltar também o quanto um trampo bem feito acrescenta, ainda mais quando nos apresenta e nos conecta a artistas independentes de outros países. Só aqui foi Alemanha, Inglaterra, Jamaica, Estados Unidos e Brasil, cinco países, três continentes (Américas do Norte e do Sul + Europa).

Ouça o álbum e abaixo confira alguns vídeos dos artistas que participam

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.