MEMÓRIA BF | ‘The Shining’, álbum clássico do J Dilla, foi lançado em 2006 após sua morte

Post fixo, que registra e arquiva a história de um clássico do Rap mundial. Última edição em 22 de agosto de 2020.

Capa do álbum

O álbum ‘The Shining’, que para alguns é considerado o segundo álbum solo, para outros o terceiro, de James Dewitt Yancey ou J Dilla ou Jay Dee, nasceu como clássico. O disco foi lançado em 22 de agosto de 2006 e acabou, infelizmente, se tornando uma obra póstuma – James veio a falecer em 10 de fevereiro de 2006. O disco estava praticamente pronto, faltava pouco e com a morte dele quem finalizou o trabalho foi seu grande parceiro Karriem Riggins. Esse disco traz a essência do que foi a sua trajetória, desde as primeiras produções com o Da’ Enna C., quando ele assinava humildemente apenas como J.D., passando pelos trabalhos com Slum Village, The Pharcyde e a parceria com Madlib.

FORTALEÇA A MÍDIA ALTERNATIVA

www.centralhh.com.br
CLIQUE NO BANNER E ACESSE A LOJA

É suave, é pesado, é jazz, é Rap, funk e tem vários rimadores, intérpretes, DJ, produtores e músicos do mais alto nível. Do Rap e do R&B participam Common, Pharoahe Monch, Madlib, Black Thought, MED, Guilty Simpson, Dwele, D’Angelo e DJ J Rocc. Ainda tem ele mesmo rimando na faixa “Won’t do”, coisa que Busta Rhymes, que também participa na faixa “Geek down”, não faz. Na época achei que foi o único erro desse álbum, pois Busta não rima, não faz os seus flows malucos em um instrumental que é a cara dele. Mas depois ele se redimiu ou se arrependeu e recompensou na mixtape ‘Dillagence’. No mais, é um disco essencial para entender o porque Jay Dee é venerado, amado e imortalizado como um dos maiores produtores que o Rap já teve.

Ouça o disco

 

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.