Ice Blue: ‘Tem um ciclo vicioso que ainda nos persegue na periferia: a morte de jovens, uso de drogas, criminalidade’

“O que eu cantava em 1989 ainda acontece em 2019: o abuso da polícia, as cadeias cheias, o negro e o pobre discriminados.”

Celebrando os 30 anos de Racionais, o grupo está em turnê pelo país. Em entrevista ao G1 do Distrito Federal, Ice Blue “conversou sobre relação do grupo com DF, trajetória artística e representatividade”.

O rapper afirmou estar decepcionado com a atual realidade política do país, mas assumiu uma nova postura.

“Antes, eu defendia minha ideologia, mas botaram ela em dúvida. Eu acreditava em coisas que deixaram de fazer sentido”, diz Ice Blue ao G1.

De acordo com o portal, Blue -que vai lançar o disco “Preso na Teia” em outubro- enxerga o movimento hip-hop não apenas como uma manifestação artística, mas um instrumento de luta, de quebra de preconceitos e de transformação.

“A música vem cumprindo sua função de conversar com as pessoas, deixando-as menos tristes ou dando um toque para seguirem a vida de outra forma”, disse.

O rapper também falou sobre os problemas que ainda colocam o povo negro e periférico em desvantagem na sociedade, apesar da ascensão e destaque de personalidades negras brasileiras. “Infelizmente, você muda de casa, consegue comprar um carro, consegue adquirir algumas coisas, mas tem um ciclo vicioso que ainda nos persegue na periferia: a morte de jovens, uso de drogas, criminalidade.”

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.