Antes do Rap: Abram alas. 35 Sambas de Enredo com protestos pedem passagem

Fotos por Gil, desfiles do carnaval 2019 no Rio de Janeiro

Aproveitando o carnaval, resolvi colocar em prática uma pauta antiga sobre sambas de enredo com temas raciais, sociais ou com algum tipo de protesto. Não é a lista ou visão de um especialista no assunto, por isso me restringi aos discos da minha coleção pessoal e no final inclui alguns sambas recentes e que tiveram grande repercussão. São sambas que vira e mexe escuto, fazem parte do meu gosto musical.

Bem antes de existir a música Rap, as Escolas e os compositores já faziam sambas de protesto. Os temas eram sociais, raciais, religiosos e até protestos contra a mercantilização das escolas e desfiles. Essa relação traz sambas de Escolas de São Paulo e Rio de Janeiro, que são as mais famosas e também as que tive mais acesso no decorrer da vida. Meus discos são dos anos 70 até 1995, então é lógico que muito samba bom ficou de fora, mas vamos do jeito que o tempo escasso nos permite, pra não atravessar o samba e não estourar o tempo. Não é “a lista”, é “uma lista” e facilmente poderia ter mais de 50 sambas, no final ficaram 35.

Ainda bem que outras pessoas se preocupam com o tema e muitas músicas estão digitalizadas com streaming no YouTube, algumas até com as letras. Todas as informações sobre títulos, intérpretes e compositores está exatamente como no encarte dos álbuns. Esses discos são como livros, muitos enredos são uma aula de história, claro que existem contradições e polêmicas em relação aos dias atuais. Mesmo assim todos eles são retratos de tempos muito difíceis, mas ao mesmo tempo e infelizmente, são atuais. Assuntos como racismo, pobreza, inflação, censura, violência, corrupção, desmatamento da amazônia, extermínio de índios e tantas coisas ruins que ainda vivemos, estão muito presentes nas composições.

A grande maioria desses sambas são verdadeiros hinos em suas comunidades e também no samba em geral. Neste ano, várias escolas farão protestos em seus desfiles e trarão enredos com temas bem atuais, quem curte, fica de olho… pois as polêmicas não serão poucas.

Abaixo confira a lista, começando pelo Lado Leste de SP e finalizando com enredo da Mangueira de 2019!


Escola – Nenê de Vila Matilde – São Paulo – 1982
Título – Palmares, raiz da liberdade
Compositores – Armando da Mangueira e Jangada
Intérprete – Armando da Mangueira

Escola – Camisa Verde e Branco – São Paulo – 1982
Título – Negro maravilhoso
Compositor – Talismã
Intérprete – Ataide

Escola – Vai-Vai – São Paulo – 1983
Título – Se a moda pega
Compositores – Namur e Macalé do Cavaquinho
Intérprete – Chuveiro

Escola – Unidos da Tijuca – Rio de Janeiro – 1984
Título – Salamaleikum, a epopeia dos insubmissos malês
Compositores – Carlinhos Melodia, Jorge Moreira e Nogueirinha
Intérprete – Sobrinho

Escola – União Independente de Vila Prudente – São Paulo – 1985
Título – Magia de uma raça
Compositores – Grupo Família, Daniel, João Amorim e Biguinho
Intérprete – Juscelino

Escola – Caprichosos de Pilares – Rio de Janeiro – 1987 – Grupo 1A
Título – Ajoelhou, tem que rezar
Compositores – Evandro Boia, Naldo do Cavaco e Toninho 70
Intérprete – Carlinhos de Pilares

Escola – São Clemente – Rio de Janeiro – 1987 – Grupo 1A
Título – Capitães de asfalto
Compositores – Izaias de Paulo, Jorge Moreira e Manuelzinho Poeta
Intérprete – Izaias de Paulo

Escola – Unidos da Tijuca – Rio de Janeiro – 1987 – Grupo 1A
Título – As três faces da moeda
Compositor – Piedade
Intérprete – Nego

Escola – Flor de Vila Dalila – São Paulo – 1988
Título – Nova república, me engana que eu gosto
Compositores – Carlinhos de Pilares e Roberto Laranja
Intérpretes – Nilton da Flor e Carlinhos de Pilares

Escola – Unidos de Vila Isabel – Rio de Janeiro – 1988
Título – Kizomba, festa da raça
Compositores – Rodolpho, Jonas e Luis Carlos da Vila
Intérprete – Gera

Escola – Colorado do Brás – São Paulo – 1988
Título – Quilombo catopês do milho verde (De escravo a rei da festa)
Compositores – Dom Marcos, Roná Gonzaguinha, Edinho, Xixa e Minho
Intérprete – Dom Marcos

Escola – Unidos da Tijuca – Rio de Janeiro – 1988
Título – Templo do absurdo
Compositores – Beto do Pandeiro, Nego, Vaguinho, Monteiro, Ivar Silva e Carlos do Pagode
Intérprete – Nego

Escola – Unidos do Peruche – São Paulo – 1988
Título – Filhos de mãe preta
Compositores – Joaquinzinho e Benê
Intérpretes – Jamelão e Eliana de Lima

Escola – Imperatriz Leopoldinense – Rio de Janeiro – 1988
Título – Conta outra, que essa foi boa
Compositores – Zé Catimba, Gabi, Davi Correa e Guga
Intérpretes – Alexandre da Imperatriz

Escola – Imperador do Ipiranga – São Paulo – 1988
Título – Sonha Brasil
Compositores – Tião Oliveira, Léo, Hugo Bispo, Mano Barbosa e Amaro Nunes
Intérprete – Amaro Nunes

Escola – São Clemente – Rio de Janeiro – 1988
Título – Quem avisa amigo é
Compositores – Izaias de Paula, Helinho 107 e Chocolate
Intérprete – Izaias de Paula

Escola – Beija-Flor de Nilópolis- Rio de Janeiro – 1988
Título – Sou negro, do Egito à liberdade
Compositores – Invancué, Cláudio Inspiração, Marcelo Guimarães e Aloísio Santos
Intérprete – Neguinho da Beija-Flor

Escola – Império Serrano- Rio de Janeiro – 1988
Título – Pára com isto, dá cá o meu
Compositores – Luis Carlos do Cavaco, Lula e Jarbas da Cuíca
Intérprete – Quinzinho

Escola – Estação Primeira de Mangueira – Rio de Janeiro – 1988
Título – 100 anos de liberdade, realidade ou ilusão
Compositores – Hélio Turco, Jurandir e Alvinho
Intérprete – Jamelão

Escola – Nenê de Vila Matilde – São Paulo – 1989
Título – Eu tenho origem
Compositores – Filé, Ney do Cavaco e Ricardo
Intérprete – Chuveiro

Escola – Acadêmicos do Tucuruvi – São Paulo – 1989
Título – Esperança de um povo
Compositores – Maurinho da Mazzei e Luiz Augusto
Intérpretes – Maurinho da Mazzei e Vino Pequeno Polegar

Escola – Acadêmicos de Santa Cruz – Rio de Janeiro – 1990
Título – Os heróis da resistência
Compositores – Zé Carlos, Carlos Henri, Carlinhos de Pilares, Doda, Mocinho e Luis Sérgio
Intérprete – Carlinhos de Pilares

Escola – Camisa Verde e Branco – São Paulo – 1990
Título – Dos barões do café a Sarney, onde foi que eu errei?
Compositores – Luis Carlos e Grego
Intérprete – Agnaldo Amaral

Escola – São Clemente – Rio de Janeiro – 1990
Título – E o samba sambou
Compositores – Helinho 107, Mai Velho, Nino e Chocolate
Intérprete – Izaias de Paula

Escola – Pérola Negra – São Paulo – 1990
Título – Shangrilá tupinikim: Sonho, fartura e milagre
Compositores – Gagarin, Claudinho Caju e Mizimbinha
Intérprete – Jadir

Escola – Lins Imperial – Rio de Janeiro – 1991
Título – Chico Mendes, o arauto da natureza
Compositores – João Banana, Serjão, Jorge Paulo e Tuca
Intérprete – Celino Dias

Escola – Mocidade Alegre – São Paulo – 1991
Título – A história de repete
Compositores – Xavier, Baixinho do Banjo, Deolindo, Luis Carlos da Vila e Carlão Maneiro
Intérprete – Carlão Maneiro

Escola – Unidos de Vila Isabel – Rio de Janeiro – 1992
Título – A Vila vê o ovo e pôe às claras
Compositores – Sidney Sã, Miro Jr., Carlinhos da Vila, Claudinho do Orvalho e Artuzinho Só
Intérprete – Gera

Escola – Leandro de Itaquera – São Paulo – 1992
Título – Batuque, a força de uma raça
Compositores – Tião Oliveira, Amaro Nunes, Valdemir, Leo e Hugo Bispo
Intérprete – Eliana de Lima

Escola – Grêmio Gaviões da Fiel Torcida – São Paulo – 1992
Título – Cidade aquariana
Compositores – Grego
Intérprete – Ernesto

Escola – Unidos do Peruche – São Paulo – 1995
Título – Não deixe o samba sambar
Compositores – Quinzinho, Carlinhos, Edson Barbosa, Sandro, Danilo, João Baptista e Nelson Dalla Rosa
Intérpretes – Vaguinho com participação de André Pantera e Denise

Escola – Beija-Flor de Nilópolis – Rio de Janeiro – 2018
Título – Monstro é aquele que não sabe amar. Os filhos abandonados da pátria que os pariu
Compositores –Di Menor BF, Kiraizinho, Diego Oliveira, Bakaninha Beija-Flor, JJ Santos, Julio Assis e Diogo Rosa
Intérprete – Neguinho da Beija-Flor

Escola – Paraíso do Tuiuti – Rio de Janeiro – 2018
Título – Meu Deus, Meu Deus! Está extinta a escravidão? (Versão acústica Grazzi Brasil)
Compositores – Cláudio Russo, Moacyr Luz, Jurandir, Zezé e Aníbal
Intérpretes – Nino do Milênio, Celsinho Mody e Grazzi Brasil

Escola – Estação Primeira de Mangueira – Rio de Janeiro – 2018
Título – Com dinheiro ou sem dinheiro, eu brinco! (Ciganerey e Péricles cantando)
Compositores – Clequinho, Júnior Fionda, Alemão do Cavaco, Gabriel Machado, Wagner Santos, Gabriel Martins e Igor Leal
Intérprete – Ciganerey

Escola – Estação Primeira de Mangueira – Rio de Janeiro – 2019
Título – História pra ninar gente grande (cantando Cacá Nascimento e Wantuir)
Compositores – Deivid Domênico, Tomaz Miranda, Mama, Marcio Bola, Ronie Oliveira e Danilo Firmino
Intérprete – Marquinho Art’Samba

PUBLICIDADE – CONHEÇA A LOJA CENTRAL GIRLS

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.