Memória BF | ‘Blunted on Reality’, 26 anos do primeiro disco do The Fugees

Capa do álbum

O disco ‘Blunted on Reality‘, primeiro da carreira do trio The Fugees completa hoje (1/2) 26 anos. Um álbum que começou a ser gravado em 1992 e por incrível que pareça, o clássico “Fu-Gee-La”, lançado como single do segundo álbum, já existia até mesmo antes que esse primeiro disco ficasse pronto.

Minha opinião, é que se o álbum ‘Score‘ não tivesse sido lançado ou se não fosse um sucesso absoluto, este primeiro disco ficaria esquecido pelo grande público. Em vendas, foram apenas 12.000 cópias. Em um mercado grande como o dos Estados Unidos, em plena Golden Era, são números que simbolizam um grande fracasso.

Ainda bem que muita gente no Rap não se guia pelo mercado, faço parte desses. Acho o disco muito bom e totalmente coerente (até à frente) com o momento de lançamento, em 1º de fevereiro de 1994.

Assista ao vídeo do single “Boof baf”

Wyclef Jean, Lauryn Hill e Pras Michel se juntaram em 1990. Todos são muito talentosos, cada um com uma musicalidade única. No início usaram o nome de uma banda que Wyclef tinha, Rap Translatorz e depois Tranzlator Crew. Inclusive este nome está na capa do álbum, logo abaixo do Fugees. O nome que acabou consagrando o grupo se deve ao fato de Pras ser nascido nos Estados Unidos, mas descendente de haitianos e Jean ser haitiano. Logo, se intitularam “Os Refugiados”. O título do álbum é uma ironia e um protesto em relação a todo tipo de injustiça cometidos pelo governo e sua polícia, por exemplo.

Assista ao vídeo do single “Nappy heads”

Realmente não contém letras tão políticas quanto o ‘The Score’, mas também não é nenhum pouco alienado. Na introdução eles já se anunciam como o grupo Tranzlators e fazem referência aos vermes que usam lençóis brancos, cruzes e fogo. A contagem oficial de faixas é marcada como 18 faixas. No vinil estão marcadas 17, mas é por conta de um dos cinco interlúdios. A faixa “Blunted interlude” tem uma introdução para a faixa que dá título ao álbum, mas não está listada e é a mais longa, com 7 minutos.

Assista ao vídeo e ouça a versão remix de “Vocab”

Foto da contra-capa, acervo pessoal

“Vocab” está entre os Raps que mais ouvi na vida, tanto as versões do vídeo, quanto a do álbum, poderia ficar tranquilamente ouvindo o dia todo. Considero a melhor música do trio e certamente um dos grandes clássicos de todos os tempos, com DJ, com violão, com bumbo e caixa, rima, ragga, homem, mulher e cada versão com letras diferentes.

Foi o terceiro single, no álbum é Rap com violão, no vídeo acrescentaram bumbo, caixa, DJ, deixaram claro a sua versatilidade. Não usam samples, mas nas letras eles fazem referências ao BDP, à canção de ninar francesa ‘Freres Jacques’, à banda The Police e citam os nomes de alguns grupos de Rap que foram referência pra eles.

Foto do encarte, acervo pessoal

Na época aconteceu uma identificação maior com os brasileiros, pois Pras está com uma camisa da seleção brasileira de futebol, um tempo em que podíamos usar essa camisa com algum orgulho.

O primeiro single do álbum foi a faixa “Boof baf”, que caiu no esquecimento. O segundo foi da faixa “Nappy heads”, que junto com “Vocab”, é outra que fez bastante sucesso entre o público do Rap.

Faço questão de ressaltar as fotos da capa, contra-capa e encarte. São perfeitas e foram feitas por Danny Clinch. Ele já fez fotos de 2Pac, Q-tip, Beastie Boys, Run DMC, Eminem, Kanye West, entre outros.

Ouça o álbum

Leia também

24 anos atrás, The Fugees lançava o aclamado álbum ‘The Score’

http://centralhh.com.br/produto/publicidadebf/112455
Anuncie no BF, fortaleça a mídia alternativa!

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.