DJ Raffa fala sobre o 4º Festival de Hip Hop do Cerrado

Entrevista por DJ Cortecertu, última edição em 24 de outubro de 2010

Flyer do Evento

Um dos maiores eventos de Hip-Hop do país acontece no dia 28 de fevereiro. Brasília mais uma vez recebe o Festival de Hip-Hop do Cerrado.

Teremos Dudu de Morro Agudo (RJ), Maverick (DF), Dughetto (RJ) e o pré-lançamento do Atitude Feminina (DF), porque o álbum do A.F. ainda está na fase de produção”, afirma DJ Raffa, ícone do Rap brasileiro e um dos organizadores do evento. Abaixo, Raffa fala sobre a cena no DF e aponta as principais dificuldades para a realização do festival.

Bocada Forte: Vocês já estão na quarta edição. Quais os maiores desafios dessa atual empreitada? Como é trabalhar com a iniciativa independente e o poder público?

DJ Raffa: Neste ano, não temos nenhum apoio do governo do DF. Não queremos, principalmente pelos recentes acontecimentos. Classificaram o nosso projeto dentro da programação do cinquentenário de Brasília, no ano passado, mas eu classifico isso como uma farsa, porque, depois de aprovado sem recursos e publicado no Diário Oficial como mérito cultural, eles não podem dar nenhum tipo de apoio. Fizeram isso com mais de 300 projetos na cidade. Numa maneira sutil e vergonhosa de se livrar dos projetos que, para a comissão julgadora que o governo escolheu e não a comunidade cultural, não tinha interesse financeiro. Você sabe o que quero dizer com interesse financeiro! Reservar muito dinheiro apenas para as atrações internacionais do aniversário de Brasília.

BF: Quais os principais entraves que as instituições publicas apresentaram nas outras edições?

DJ Raffa: 
Quando se trata de um festival onde a bandeira é o Hip-Hop, sempre é muito difícil conseguir apoio e patrocínio em todas as instancias, tanto públicas, como particulares. Mas não posso deixar de citar que a Petrobras vem acreditando em nosso trabalho e vem nos apoiando a cada ano.

BF: Como foi feita a seleção e qual a importância dos artistas que se apresentarão no dia 28?

4º Festival de Hip Hop do Cerrado – Acervo BF

DJ Raffa: A seleção sempre é um misto de grupos renomados no DF e no Brasil, atrações de outros estados e grupos que estão em ascensão, mesmo sem CD gravado e artistas que acabaram de lançar CD e precisam de divulgação. Outro ponto importante: damos valor aos grupos que tenham mensagens positivas e responsabilidade social, artistas que, em cima do palco, não vão começar a ter atitudes negativas como xingar a polícia e fazer discursos incentivando a violência. Pregamos a paz no festival.

BF: Teremos lançamentos de trabalhos do Dudu de Morro Agudo e Atitude Feminina. Foi dificil sincronizar todos os esforços para serem apresentados na data estipulada?

DJ Raffa: Não são apenas esses lançamentos. Teremos Dudu de Morro Agudo(RJ), Maverick (DF), Dughetto (RJ) e o pré-lançamento do Atitude Feminina(DF), porque o álbum do A.F.  ainda está na fase de produção. Sincronizar não é o problema. Organizar tudo para que não falte nada e proporcionar uma estrutura perfeita para os artistas são questões mais difíceis.

BF: Como estão o Rap e o Hip-Hop no DF e entorno? Quais os pontos positivos e negativos da produção da região?

DJ Raffa – 4º Festival de Hip Hop do Cerrado – Acervo BF

DJ Raffa: O Rap e Hip-Hop do DF estão constantemente crescendo, graças a Deus. Isso é o ponto positivo. O negativo é que nem sempre todas as ações dentro do Hip-Hop, em ONGs, no governo ou até iniciativas particulares são feitas com sinceridade e amor.

Na maioria das vezes, atuam apenas com intuito de receber dinheiro e não ajudar a cultura Hip-Hop. O objetivo principal do festival é dar condições profissionais no centro do poder, para que os grupos possam se apresentar com dignidade.

BF: A cena alternativa está se fortalecendo e trazendo outras formas estéticas?

DJ Raffa: 
Sim! O Rap está sempre se transformando, reciclando e crescendo. As novas estéticas sempre são bem vindas.

BF: Falta um evento nacional dessa magnitude? Um projeto que promova o intercâmbio entre artistas de diversas partes do país?

DJ Raffa: 
Acho que não. Estão acontecendo algumas intervenções em outros estados. Cada um com propostas diferentes,  é claro. Tentamos dar visibilidade para que artistas da periferia tenham espaço normalmente onde eles não têm, com estrutura que não deve nada para grandes shows. Temos também intervenções de graffiti ao vivo, que depois são expostos em vários pontos da cidade, além das ações sociais, como já fizemos na segunda edição (oficinas no Caje).

BF: Estamos num ano de eleições. No que a militância do Hip-Hop e o Rap podem ajudar na escolha de um candidato que represente os anseios da maioria?

4º Festival de Hip Hop do Cerrado – Acervo BF

DJ Raffa: Eu estou muito desacreditado com os rumos da política brasileira. Não vejo nenhum candidato em potencial aqui no DF, pelo menos que possa fazer a diferença.

Infelizmente, acho que o Hip-Hop tem que ser mais pelo social do que pelo político. É tão fácil se corromper quando se entra nesse jogo sujo que e a política. Então prefiro não interferir nem me envolver.

BF: Na cabeça da juventude, o Rap ainda tem esse papel político?

DJ Raffa: 
Acho que os assuntos mudaram e os anseios também. Poucos grupos ainda escrevem sobre temas políticos. Veja bem, não sou contra quem é do Hip-Hop e se candidata à um cargo público. Mas acho que podemos fazer mais diferença estando fora do que dentro, onde, pra se conseguir qualquer coisa, são necessárias negociações e concessões para se conseguir fazer algo.

BF: Vocês pensam em lançar algum registro (em CD, livro, fotografia, exposição etc) sobre o Hip Hop do Cerrado?

DJ Raffa: 
Estamos tentando para 2011, na quinta edição. Pretendemos captar mais recursos para podermos fazer um DVD.

[+] Visite o site do evento

Comentários retirados do Acervo Bocada Forte


Admiro muito o trampo do Raffa mas ele comete os mesmos erros dos aproveitadores do hip Hop qdo nao paga o cache de nenhum artista local e ainda por cima fala da responsabilidade de cada um ho Hip Hop. Abaixo as contradicoes e aos aproveitadores na nossa cultura!!!!!!!!
Por: Eu mesmo – Em: 26/02/2010 16:29:54


um dos momentos mais representativos para o hiphop do C.O.fortalecendo a cadeia produtiva da musicas independente e disseminando o hiphop fora do eixo…CUIABÁ marcara presença no festival ..parabens raffa e aninha
Por: spinha – Em: 21/02/2010 17:59:21


Parabéns Raffa Convido cada um e cada para prestigiarem o maior evento de Hip Hop da Capital e Centro Oeste. Garanto que serão acolhidos por qualidade em estrutura e artística. Nós. Abraço
Por: Markão – Aborígine – Em: 18/02/2010 01:47:20

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.