DJ Raffa comemora 35 anos de Hip Hop com mais um disco

Capa disco

A história e a evolução das produções de Rap no Brasil se confundem com a história de DJ Raffa. Tanta gente fala e reclama das dificuldades em se destacar fora do eixo Rio-São Paulo, mas Raffa, um carioca que é de Brasília, conseguiu não apenas ser um dos produtores mais importantes do país, como também colocar em evidência muitos grupos do DF.

Para comemorar os seus 35 anos de história, ele lançou um disco com 13 faixas – ‘DJ Raffa 35 Anos Volume 01’. Assim como em seu disco de comemoração de 20 anos, ele convidou artistas que fizeram parte da sua história, grandes nomes e também nomes mais novos. A capa do álbum, que vai ter outro volume, é uma montagem com a foto dele e as capas de alguns discos que ele produziu.

A abertura do disco é com seu parceiro Angel Duarte, onde são citados os grupos e coletâneas que Raffa trabalhou e parte da sua história é contada – o exílio da família na Alemanha, seu nascimento no Rio de Janeiro, a mudança para Brasília, o seu início no Hip Hop como B.boy e depois no Rap. O refrão da abertura define a importância dele:

“DJ Raffa hey, DJ Raffa ho, história viva construindo o Rap nacional / DJ Raffa hey, DJ Raffa ho, ajudando a construir o Rap nacional”.

E aí o disco segue com o veterano Marrom Snt em “O que você vê”. Boa parte da letra também é de reconhecimento e agradecimento a trajetória de Claudio Raffaelo Santoro, nome de batismo do DJ. A faixa de número três mostra uma união de três grandes talentos do nosso Rap – DJ Raffa, Japão (Viela 17) e Fex (Filosofia de Rua, Facção Central, Pacto Mental, etc, etc). Na música “Ceilândia bairro bom”, Japão manda bem na rima pra falar da sua quebrada e Fex cuida do refrão, mostrando sua habilidade vocal com o talkbox. De acordo com o próprio Fex, em toda sua experiência no Rap, foi a primeira vez que trabalhou com Raffa e a estreia já foi em duas faixas. Na sequência ele também participa da “Amigos para sempre”, com Marcão (Baseado Nas Ruas), eterno parceiro do DJ e mais uma vez o talkbox entra em ação.

http://centralhh.com.br/produto/publicidadebf/112455
Anuncie no BF, clique no Banner!

O primeiro nome da nova geração a aparecer no disco é o MC Rapadura Xique Chico em “30 anos em um dia”. Esse moleque é muito bom de rima, é muita ideia, homenageia Raffa, vai costurando nomes de artistas produzidos por Raffa e ao mesmo tempo falando de tudo, o refrão é com colagens e citações. A próxima faixa é “Novidade”, com DJ Jamaika (ex-Câmbio Negro). Crônica Mendes (A Família) está no disco com a música “É o que tá tendo”. A faixa traz um refrão com colagem de “Fim de semana no parque”, do Racionais e a letra fala da realidade das ruas, a vida no Rap, dificuldades e desafios.

A primeira representante das mulheres a aparecer no disco é a Dree-K, do DF, na faixa “Transando com a rima”. Não é nenhuma homenagem, é uma música própria e parece que vai ter um vídeo dela. Na sequência, no mesmo esquema, um grupo novo também do DF, formado por Melt e Berdinazzi, o Meiaum participa com a música “Tô virado”. Mais dois representantes do DF participam com a música “Meu menino”, escrita há alguns anos atrás. A letra é de Markão Aborígene e o refrão cantado pela Talíz. A música fala do sofrimento, amor e esperança de uma mãe que tem filho um encarcerado.

Em “Da oeste pro DF”, temos dois representantes do Rap da zona oeste de SP: DBS (Família RZO) rima junto com Tate (Eclesíastes/O Pregador). Dois legítimos representantes do rap periférico. O Provérbio-X participa com a música “Religare”. Eles estão entre os grupos que participaram do disco comemorativo de 20 anos. Pra finalizar, a faixa instrumental “Ijexá Hip Hop”, do grupo Patubatê, que tem como característica “fazer um som sustentável a partir de sucata”. A produção é de Raffa e de Leandronik, um de seus parceiros mais antigos.

PUBLICIDADE – CONHEÇA A LOJA CENTRAL GIRLS – VALORIZE QUEM APOIA A MÍDIA ALTERNATIVA

Eu parabenizo DJ Raffa pela trajetória. Passei toda minha adolescência ouvindo a maioria dos discos que ele produziu. Não importa se gosto ou não de todas as suas produções. “Respeito é pra quem tem”. São 35 anos! A nova geração do Rap não tem isso de idade. Muitos com 10 anos de trajetória ou menos só reclamam das dificuldades. Olhe as redes sociais e vai se deparar com todo tipo de queixa. Não foi fácil ontem, não está fácil agora e o trabalho, para um dia ser menos difícil, dever ser intenso, incessante e cansativo. Tenho propriedade pra falar. Só na área de comunicação e mídia alternativa, são 19 anos só no BF. Respeite os arquitetos! Parabéns DJ Raffa!

[+] Leia a entrevista com DJ Raffa sobre o disco
[+] Confira os detalhes do show ‘DJ Raffa 35 Anos’

Temos muito mais conteúdo, matérias, resenhas e entrevistas, confira:

[+] Leia sobre e ouça o disco DJ Raffa 20 Anos de Hip Hop
[+] Leia matéria com DJ Raffa
[+] Leia entrevista de 2010 com DJ Raffa

[+] Leia entrevista de 2004 do Acervo Bocada Forte

Ouça o disco completo

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.