Acervo BF | Common -‘Be’: O nascimento de um clássico – Por DJ Tamenpi

Publicado em 24 de agosto de 2005, última edição em 24 de maio de 2020.

Capa do álbum

Be – O Nascimento de um clássico:

No dia 24 de maio de 2005 saiu o novo disco do Common, intitulado ‘Be’ (Ser). Um disco cercado de expectativas, já que era anunciada a parceria entre ele e o produtor Kanye West na maioria das faixas, além de ter Kanye como produtor executivo. Em seu trabalho anterior, ‘Eletric Circus’, Common fez um disco bem diferente dos padrões do Rap convencional. Foi, digamos, um disco muito evoluído para o momento. Como dito por ele, estava no momento escutando muitos estilos de música e completamente desanimado com a cena que o Rap passava.

Assista Common e Kanye ao vivo apresentando o single “The food”

O resultado foi um completo desrespeito por parte da grande mídia, chamando-o de ridículo a caipira. Tudo isso ficou guardado e ele veio com sua resposta muito bem preparada agora nesse seu novo lançamento. A parceria com Kanye foi um passo em que ele deixou o ‘Eletric Circus’ para trás, foi parte de uma evolução, um desafio, uma ressurreição artística. Com ‘Be’, Common volta para as ruas como numa encruzilhada, encontrando seu passo de novo e gravando o que tinha sido anunciado como um dos melhores discos de sua carreira e do ano. Só não o chamem de outro ‘Resurrection’ – esse já está aí há muito tempo.

Assista ao vídeo do single “The corner”

‘Be’ é um disco muito bem trabalhado, digamos que trabalhado com perfeição. É um trabalho bem curto com poucas faixas, mas ao escutá-lo até o fim percebe-se que está impecável. São 11 músicas, com pouco mais de 45 minutos. Nove dessas onze faixas são produzidas por Kanye West, as duas restantes ficaram a cargo de Jay Dee. Ele só lançou as faixas que realmente sentia estarem completas, as que tinha alguma dúvida não saíram. A ideia do disco surgiu quando Common foi para Los Angeles e Kanye o chamou para ir a seu estúdio escutar umas bases. Chegando lá, Common escutou um beat e chapou. Kanye perguntou se ele queria usá-la: esse beat virou a música “The food”. Foi aí que tudo começou.

Assista ao vídeo do sinlge “Go”

A imprensa especializada já anuncia ‘Be’ como um clássico instantâneo, e na opinião do próprio MC é o melhor disco de sua carreira. É um trabalho muito musical, suas produções são todas sampleadas de r&b, jazz e soul dos anos 70. A maioria dos samples são tocados, dando uma impressão mais orgânica nas batidas. E essas músicas sampleadas são muito bem escolhidas, pois são excelentes, primorosas.

Assista ao vídeo do single “Testify”

O disco começa com uma introdução com o mesmo nome do álbum e uma letra muito boa, com muito sentimento. Em seguida vem a música “The corner” que tem sample de um som do The Temptations chamado “What it is”. Esse som é o mais seco do disco, o mais simples, e conta com a participação do lendário grupo The Last Poets e do Kanye West cantando o refrão.

Assista ao vídeo do single “Faithful” ao vivo

O som seguinte “Go!”, é sample de um ótimo som de Linda Lewis, chamado “Old smokey”, em que Common discute relações amorosas com uma mulher de seu passado e conta com participações de Kanye West e John Mayer. Depois vem “Faithful”, tirado da musica do D.J. Rogers (“Faithful to the end”) e fala sobre as dificuldades de fidelidade do ser humano. Na música seguinte, “Testify”, o sample foi tirado de um som do grupo Honey Cone (“Innocet ‘til proven guilty”), e o pedaço usado é o próprio vocal da música. Na faixa “Love is”, o sample é de uma música do mestre Marvin Gaye chamada “God is love”. A letra desse som é muito boa. Em “Chi-city”, Common faz um tributo a vida urbana, a vida na cidade, no caso, sua cidade Chicago, o original é um som espetacular, Cornelius Brothers & Sister Rose“Since i found my baby”.

http://centralhh.com.br/produto/publicidadebf/112455
Anuncie no BF e fortaleça a mídia alternativa!

O som em seguida é o ponta pé inicial do projeto do disco, a faixa “The food”, que por já ser uma música que estava nas ruas há um tempo, eles resolveram colocar numa versão ao vivo. Boa do mesmo jeito. “Real people” segue o disco como uma das melhores letras e um dos melhores originais, extraído da música “Sweet children” do grande Caesar Frazier, um som clássico. Na penúltima música do disco, “They say”, o ritmo é seguido no sample do memorável pianista Ahmad Jamal com a música “Guetto child”. Fechando o disco tem a excelente “It’s your world pt. 1 & 2” sampleado da música “Share what you got keep what you need” do The Modulations. A letra dessa música é absurda e mostra porque Common é um dos melhores letristas que o Rap tem. Participam desse som Bilal no refrão e Pops que faz uma espécie de manifesto na segunda parte.

‘Be’ é um disco completo e primoroso. Estamos vendo o nascimento de um clássico. Mas isso só o tempo irá dizer…

Por: DJ Tamenpi

Ouça o álbum completo

 

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.