Veja como foi o lançamento do Edital Prêmio Cultura Viva Construção Nacional Hip-Hop

0
140
DJ BK12, Fabgirl, Zuruka, Margareth Menezes, Márcia Rollemberg e Claudia Maciel – Foto Bocada Forte

Quis o destino que no dia do aniversário de Cindy Campbell (26/10), a responsável pela festa que se tornou o mito de origem da Cultura Hip-Hop, fosse lançado pelo Ministério da Cultura um edital exclusivo para a Cultura Hip-Hop – Edital Prêmio Cultura Viva Construção Nacional Hip-Hop.

As articulações para que isso se tornasse possível partiram de uma coalizão inédita no Hip-Hop brasileiro – a Construção Nacional do Hip-Hop, com representantes dos 26 estados e do Distrito Federal. Desde fevereiro foram inúmeras agendas federais em todos os poderes – judiciário, federal e legislativo. Reuniões interministeriais e plenárias nacionais entre os Hip-Hoppers também foram inúmeras. Uma construção coletiva, democrática, horizontal e com muita diversidade.

Facilitadoras (es) reunidas (os) no Ministério das Mulheres – Foto Bocada Forte

A Construção Nacional não é uma entidade, não tem um CNPJ, não busca benefícios individuais. A entrega deste edital é a maior prova disso, mesmo quem não participou do processo ativamente ou sequer sabe que ele aconteceu, vai poder se inscrever e participar do edital, que é público, para todas, todos e todes da Cultura Hip-Hop brasileira.

O que aconteceu em Brasília neste 26 de outubro de 2023 foi único até aqui. A última vez que estive junto com pessoas de tantos estados do país foi em Porto Alegre, há uns 20 anos no evento Trocando Ideia.

Em vários momentos dessa Construção eu citei um dos nomes que me inspirou a sempre que possível fazer parte de iniciativas coletivas, Preto Ghóez. Há 20 anos estávamos juntos nessa ocasião em Porto Alegre, quando ele iniciava o MHHOB (Movimento Hip-Hop Organizado do Brasil) e facilmente me convenceu do óbvio – juntos somos mais fortes!

Nesse encontro no DF, reencontrei muita gente, conheci outras pessoalmente e renovei minhas energias e a confiança de estar no caminho mais certo. O reconhecimento, a consideração, o respeito e o carinho demonstrado por todas, todos e todes em relação ao Bocada Forte é algo que nós – e aqui falo por toda família BF – agradecemos imensamente. Não consegui conversar com todo mundo da maneira que eu gostaria, pois foi rápido, mas valeu a pena cada abraço, aperto de mão, lágrimas de alegria, sorrisos e risadas.

Veja como foi o lançamento do selo 50 Anos de Hip-Hop

Voltei pra casa com a sensação de dever cumprido e com muita força pra seguir, pois esse edital é apenas mais um passo de muitos outros que estão por vir. Agradeço demais a confiança de todas as pessoas da Construção Nacional, por me ouvirem, acolherem e demonstrarem um respeito que, muitas vezes, não existe por parte de pessoas que dizem ser Hip-Hop.

A troca foi rápida, mas intensa. Não vou citar os nomes, pois corro o risco de esquecer alguém, mas todos, todas e todes que estavam presentes sintam-se contemplades (os/as). Suas histórias são inspiradoras, costumes, sotaques, distância, culturas e origens diferentes nunca deveriam ser barreiras e pra nós não são. É isso que o Hip-Hop faz, nos une em torno de um mesmo objetivo, a coletividade nos move.

O Ministério da Cultura, das Mulheres e da Igualdade Racial conseguiram recursos para que algumas dessas pessoas pudessem estar em Brasília. Estava voltando pra casa e refletindo o quanto essa verba pública foi um investimento sócio-cultural. O impacto dessa experiência na vida de cada pessoa presente ali, vai reverberar em cada quebrada, favela, aldeia, beco e viela. Cada um vai levar aos seus pares ensinamentos, energia positiva, esperança e o sentimento de que não estamos sozinhos.

Agradeço também a Ministra Margareth Menezes e todos os servidores do Ministério da Cultura, secretária Márcia Rollemberg, a Karina Miranda, pela maneira que nos receberam e pela liberdade em permitir que as manifestações artísticas da Cultura Hip-Hop pudessem ser as protagonistas. Todos os elementos se fizeram presentes – DJs, MCs, Breakers e Graffiti.

O Bocada Forte segue rumo aos 25 anos, no mesmo caminho, independente, alternativo e compromissado com a Cultura Hip-Hop e a sua essência coletiva, pois sem isso não teríamos completado 50 anos.

Clique aqui para saber tudo sobre o edital

DJ – BK12
MC – Nimsai
Hino – Janine Mathias e Cris Maciel
Shows – Udi e GOG
Falas – Ministra da Cultura Margareth Menezes, Secretário Executivo do Ministério da Cultura Márcio Tavares, Secretária Executiva do Ministério da Igualdade Racial Roberta Eugênio, Secretária de Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura Márcia Rollemberg, Secretário de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal Claudio Abrantes e Paula do Trocando Ideia e Pontos de Cultura. Pela Construção Nacional falaram Cida Aripória, Claudia Maciel, Rafa Rafuagi, FabGirl e Zuruka.

Veja como foi a cerimônia

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.