Entrevista | Gringos, o podcast que entretém e “dá aulas”

0
1
Harry Goes, DJ Erick Jay, Rubia (RPW) e Ney

Assim como as performances transmitidas ao vivo (lives), os podcasts se tornaram um fenômeno na internet desde a eclosão da pandemia da covid-19, ao início do ano passado, arrebatando numeroso público em razão do isolamento social. Recente pesquisa realizada pela Globo, em parceria com o Ibope, apurou que 57% dos entrevistados começaram a consumir podcasts durante a pandemia. O levantamento foi feito entre setembro de 2020 e fevereiro deste ano.

Esses novos programas de entrevistas irradiados via web dividem-se em temáticas diversas, que vão do humor e do entretenimento às notícias do dia a dia, mas também há projetos com nichos mais específicos. Um deles, o Gringos Podcast, tem se destacado entre os amantes de Rap, Cultura Hip-Hop e discotecagem em geral, com transmissões ao vivo, pelo YouTube, geralmente às segundas e sextas-feiras, às 19h.

DJ RM, Erick Jay e Ney

Iniciado em fevereiro deste ano, o projeto leva o nome da tradicional loja Gringos (Records), localizada nas Grandes Galerias da rua 24 de Maio, no centro de São Paulo. Proprietário do estabelecimento há mais de 20 anos, Claudinei Leite, o Ney, abre as portas da loja para receber os convidados e também faz as vezes de apresentador, ao lado do DJ Erick Jay.

O Gringos Podcast foi criado por Ney e Harry Goes, que passou o bastão da direção do projeto para o DJ RM. Mas a equipe atual também é composta por Erick Jay, que também é um dos apresentadores; Fabio Costa, responsável pelas artes; e Marcos Sanches, produtor do canal de “cortes”. Erick Jay, aliás, foi o primeiro entrevistado da série e, devido à sua espontaneidade e carisma, acabou sendo convidado para ser um dos apresentadores logo após sua participação.

Ney, DJ erick Jay, Ferréz e DJ RM

“Mesmo já tendo apresentado o quadro ‘Erick Jay Responde’ no extinto programa Manos e Minas (TV Cultura), tem sido bacana, uma aula mesmo. Não só para os inscritos, como para nós também”, define Erick Jay, sobre a experiência. “Às vezes perguntamos algo, o artista responde e complementa com outras informações inesperadas. O entrevistado se sente tão à vontade que chega a falar sobre o que nem foi perguntado.”

Sobre exercer o papel de diretor do podcast, DJ RM comenta: “Ney, Erick Jay e eu sempre fomos próximos. Eu já vinha realizando algumas lives, então já tinha um pouco de conhecimento em trabalhar com as câmeras”.

Convidados mais que especiais

DJ RM, Ney, DJ Erick Jay e DJ KL Jay

Os convidados costumam ser DJs, músicos ou outros agentes culturais envolvidos com a Cultura Hip-Hop e a cena eletrônica. Mais que meras entrevistas, os bate-papos resgatam histórias raras e promovem um rico intercâmbio de informações – motivo pelo qual os próprios apresentadores definem que “cada episódio é uma verdadeira aula”. Além de desfrutar de entretenimento e conhecer experiências curiosas de cada entrevistado(a), o público pode interagir com eles(as), enviando perguntas ou tecendo comentários.

Em seis meses, o programa realizou mais de 50 entrevistas e caminha para cravar a marca de 10 mil inscritos – possivelmente, ainda em setembro. Dentre os episódios com mais visibilidade, destaca-se a entrevista com DJ KL Jay, dos Racionais MCs, exibida no dia 29 de julho (que chegou a 54 mil visualizações em cerca de um mês).

https://www.bocadaforte.com.br/vaiembora
PUBLICIDADE

Entre outros entrevistados, o Gringos Podcast já recebeu rappers, como MC Jack, Thaíde, Dexter, Sharylaine, Rúbia (RPW), WGI (Consciência Humana) e DBS; e DJs de diferentes gerações e vertentes, como DJ Cinara, Ramilson Maia, DJ Luciano Rocha, Grand Master Ney e DJ Cia. Também já houve espaço para outros agentes, como o escritor Ferréz e o também músico Michel Nath, proprietário da fábrica de discos Vinil Brasil.

“Ligamos as câmeras e deixamos fluir”

O Bocada Forte entrevistou Ney, DJ RM e Erick Jay com o intuito de conhecer mais sobre os primeiros seis meses do Gringos Podcast e seus bastidores. Para simbolizar como o trabalho é feito em equipe, as respostas seguem respondidas em nome do projeto, e não de forma individualizada.

Bocada Forte: Como surgiu a ideia do projeto?

Gringos Podcast: A ideia surgiu de uma conversa entre o Harry (diretor anterior) e o Ney. Inicialmente as gravações aconteciam no apartamento do próprio Harry, mas passaram a ser realizadas na Gringos Records com a entrada do DJ RM na direção.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo

BF: Como é feita a seleção dos convidados?

GP: É uma decisão que envolve nós três, todos temos que estar de acordo. Por ser lojista, Ney conhece muita gente, o que facilita os contatos. Quando alguém sugere um convidado, é discutido se as agendas batem e, ocasionalmente, gravamos em algum outro dia da semana, para que o convidado possa participar sem comprometer a sua agenda.

BF: Sobre a dinâmica durante os episódios, vocês seguem algum roteiro?

GP: Não. As gravações são totalmente orgânicas, espontâneas. Ligamos as câmeras e deixamos fluir. A dinâmica é interagir com a conversa. O convidado responde às perguntas, tendo também a liberdade de não responder se não for da sua vontade.

BF: Qual era a expectativa de vocês ao criarem o podcast? E essa expectativa está sendo correspondida?

GP: Nosso foco é extrair um conteúdo bacana dos convidados, conhecer a trajetória de cada um e compartilhar com o público suas vivências e conhecimentos. As expectativas estão sendo correspondidas por meio da interação de quem nos acompanha, mandando perguntas ou simplesmente um “salve”. O projeto é recente, mas nosso principal objetivo é oferecer conteúdo de qualidade, sem apelação ou sensacionalismo. Os views são importantes, sim, mas sem qualidade não se se sustentam muito tempo.

https://www.bocadaforte.com.br/agendabf
Confira nossa Agenda, envie seu evento para nós

BF: Qual foi o episódio mais marcante para vocês até agora?

GP: Com certeza, o episódio com o KL Jay. Não por ser um dos mais longos [mais de quatro horas], mas pela forma como a conversa foi se desenvolvendo, pelos assuntos abordados, e como rendeu este episódio!

BF: O projeto conta com alguma parceria ou incentivo?

GP: Apesar de contar com parcerias com algumas empresas, como Rap.forte, Rap na rede, Rap original RNS e Manos Caps, o projeto é financeiramente independente. Os inscritos podem incentivar a continuidade dele por meio da plataforma Apoia-se. Nela, pode-se escolher entre três categorias, com valores de R$ 5 a R$ 100. Tornando-se membro desse programa de assiduidade, além de participar dos sorteios de bonés e camisetas, o internauta pode ganhar descontos nas lojas parceiras e na loja Gringos, além de concorrer a brindes e ter a chance de acompanhar e dirigir um podcast (“Diretor por um dia”), entre outras vantagens.

Confira os canais do Podcast
YouTube | Instagram | Twitter | Apoie o projeto

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.