Opinião: A direita caminha com tranquilidade

Foto: Estadão
Foto: Estadão

Mais de mil pessoas nas ruas de SP protestando contra reeleição da Dilma e em favor da intervenção militar. Entre coxinhas, almofadinhas, “antidilmistas”, tinha também os perigosos, agressivos e baderneiros carecas, grupos neonazis e todo tipo de arruaceiros de tribos fascistas de São Paulo.

Nenhuma bomba, nenhum tiro de bala de borracha, nenhuma “sprayzada” de pimenta, nenhuma pessoa cegada, espancada, perseguida, torturada, machucada pela polícia.

Experimentem ir para as ruas protestar por aumento de salário, direitos trabalhistas, melhorias na educação ou saúde, por transporte público de qualidade, por transparência no uso do dinheiro público pra vocês verem o que acontece.

Mas, é claro, as pessoas preferem crer no que diz a TV, que é tudo culpa dos Black Blocs. Como se antes da existência deles, os professores, estudantes de instituições públicas, funcionários da saúde, petroleiros e outras categorias de trabalhadores nunca tivessem apanhado e recebido bombas, spray e balas dessa polícia nojenta e desses governos covardes e repressores.

A tranquilidade com que a direita sempre exerceu seu direito de se manifestar e de expressar seus propósitos e ideários, seja nas ruas ou nas mídias, também é um dado da luta de classes.

Povo estúpido.

Por: Ana Paula Martins

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.