Opinião: A crise do verbo

SAM_3151

Por: Fábio Emecê

O verbo nos localiza diante do mundo. Aponta direções, define ações, orienta decisões. As palavras combinadas produzem efeitos que nos mostram se vale a pena ou não ter determinado tipo de atitude.

O nosso cotidiano torna o uso do verbo banal e a interpretação do mesmo passa tão batido, mais tão batido que o oferecido quase sempre não condiz com a necessidade real, porém não se dá a devida importância e quem oferece passa impune.

Existem aqueles que manipulam o verbo com consciência e usam essa manipulação para transmitir conhecimento, ligar pessoas ou manter uma tradição. O que chamamos de oralidade, pra alguns se torna tecido, porque é uma vida sendo costurada e a linha básica é o verbo.

Verbo que conecta existências, interpreta vivências, mantém confluências e faz até mesmo não repetir condutas que representam eliminação de pares. A oralidade representa uma história, um ligamento, um propósito, pois justamente coloca vivos elementos das comunidades.

O Rap é um elemento artístico, cuja sua fonte principal é a oralidade, a capacidade de um mc tem de articular o verbo e se comunicar com uma comunidade. Entender basicamente isso seria essencial para quem se arrisca a exercer esse elemento da cultura Hip Hop.

Pois bem, se existe uma comunicação com uma comunidade, se espera pelo menos um entendimento de vivência das pessoas nas quais se comunica e também se entender o quanto importante é a comunicação por justamente se ajudar a manter uma história, um ligamento diante do que chamamos de social.

A oralidade na qual somos herdeiros, basicamente foi usada para sobrevivência e resistência de um sistema opressor. A trama verbal foi usada para planejar levantes, fugas, contato com a divindade e entendimento de uma espiral que contém passado, presente e futuro. O passado como fonte, o presente como identidade e o futuro como apontamento.

Diante disso, o que é falado, fica, e o que fica é transmitido. Sabe-se de onde você veio, o que você é e o que você quer. O verbo é certeiro e sem massagem. Não tem como burla-lo ou engana-lo. O rap não é um elemento em que se engana o verbo, é um elemento artístico de reverência do mesmo e uma ferramenta de orientação da comunidade.

Fazemos parte de uma comunidade em que o verbo é fundamental. Fazemos parte de uma comunidade que entende a cultura Hip Hop como fundamento e o rap como elo comunicativo. Quem faz rap pode falar mesmo o que quer? Se pode, o que você quer como fonte, como identidade, como apontamento?

O verbo está em crise, porque ainda tem aqueles que ignoram sua potência, mesmo fazendo rap… Droga!

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.