Racismo, apropriação cultural, empoderamento, são temas do segundo álbum de Karol Conka

#RapBRASILEIROKarol Conká está de volta. Cinco anos após o lançamento de ‘Batuk Freak’, a rapper curitibana entrega ao público o aguardado segundo álbum de inéditas da carreira. Em “Ambulante”, obra que conta com produção assinada pelo conterrâneo Boss In Drama, a artista segue de onde parou há meia década, costurando rimas fortes em uma base essencialmente pop.

São dez composições em que Karol discute racismo, apropriação cultural, empoderamento feminino, criminalidade, conflitos sociais e as próprias conquistas de forma bem-sucedida.  Entre as composições que integram o disco, Vida Que Vale, Vogue do Gueto e a single Kaça, lançada em projeto audiovisual há poucas semanas.

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.