Nas, 46 anos. Discos clássicos, sucesso, dinheiro e tretas

0
302

Hoje é aniversário de Nasir Bin Olu Dara Jones, ou simplesmente Nas. Apesar de ser identificado com o bairro do Queens, pra onde mudou ainda criança, Nasty Nas é mais um MC nascido no Brooklyn, o bairro de Nova York onde a água parece ser diferente e os rimadores brotam aos montes. Ele dispensa apresentações. É MC, compositor, rimador, roteirista, empresário, ator e também um imã para tretas no Rap. Mas essa última parte é a menos importante entre tantas outras qualidades. No passado, há 10 ou 15 anos atrás, Nas figurava em qualquer lista de 10 melhores rappers de todos os tempos, era praticamente uma unanimidade. Hoje, ainda acho que ele segue entre os 10 melhores. De lá pra cá ainda não surgiram novos nomes para desbancá-lo a ponto dele pular fora de qualquer lista do tipo.

Assista ao vídeo da música “It ain’t hard to tell”

Mesmo tendo nascido no Brooklyn, bairro que é um caso a ser estudado quando o assunto é Rap, foi no Queens que ele conheceu e aprendeu a fazer Rap. O bairro também é o berço de grandes nomes, o maior deles é ninguém menos que Rakim. Quando Nas começou a ser um MC conhecido no bairro, ainda sem disco lançado, muitos o tinham como o “novo Rakim”. Ser comparado a alguém que faz parte do nível “Deuses do Rap” é pra poucos em toda história, mas Nas fez jus a comparação. Não entrou, ainda, no nível “Deuses do Rap”, mas o seu disco de estreia entrou no nível “maiores clássicos do Rap de todos os tempos”. O álbum ‘Illmatic’ é uma obra prima, e ele só tinha 20 aninhos!

Assista ao vídeo da polêmica “Hate me now”, com Puff Daddy

O primeiro lançamento foi em 1994, de lá pra cá ele contabiliza 11 álbuns de estúdio em carreira solo (sem contar as compilações ‘The Lost Tapes I e II’) e mais de 30 milhões de cópias vendidas em todo mundo. Ainda lançou o disco com seu projeto paralelo The Firm e um disco em parceria com Damian Marley. A quantidade de álbuns não é grande para alguém que tem quase 30 anos de Rap, mas são trabalhos consistentes, obras que permitiram que ele tivesse uma folga de no minimo dois anos de um disco solo para o outro.

O ano atípico foi 1999, quando ele lançou dois no mesmo ano, o ‘I am…’ e o ‘Nastradamus’. Isso aconteceu por uma confusão antes do ‘I am…’ ser lançado, algumas músicas tinham sido vazadas, ai ele preferiu não usá-las e fez às pressas um novo disco. Logo após, a gravadora achou por bem lançar um disco em novembro do mesmo ano, com as músicas que vazaram, na última hora ele não concordou e mais uma vez fez um outro disco completo, novamente às pressas.

Assista ao vídeo da didática “I can”

Tudo que envolve seu nome acaba tendo grande repercussão. Nada passa batido. Todos os seus discos, projetos, participações, filmes, negócios, relacionamentos, enfim… Ele coleciona tretas com rappers, Jay-Z, Young Jeezy, Cormega, Cam’Ron e até Tupac. Esse último por um mal entendido em uma letra que Tupac entendeu ser uma indireta pra ele. Praticamente todas as tretas foram resolvidas e parcerias musicais acabaram surgindo na maioria delas. Entre as suas mulheres e/ou namoradas famosas, estão Kelis e Mary J. Blige.

Assista ao vídeo de uma das suas melhores poesias “One mic”

Nas não é um artista “pop”, como Jay-Z por exemplo, mas também não é underground. Aqui no Brasil podemos dizer que ele faz parte do underground, afinal dificilmente você escutará alguma música sua em uma rádio comercial, eu pelo menos nunca escutei, a não ser em programas de Rap.

Um grande diferencial no seu trabalho é o respeito e o reconhecimento que ele transmite em relação a Cultura Hip Hop e os responsáveis pela construção do que temos hoje. Ele também é um ativista, muitas das suas letras tratam de questões políticas/sociais e ele canta muito sobre a questão racial.

Ouça e veja a tradução da música “Nigger (Slave and Master)”

Hoje, ele é o responsável por tudo relacionado ao seu trabalho, através da sua empresa Mass Appeal ele lança seus discos e também outros artistas. Seu último disco foi ‘The Lost Tapes II’, que é a sequência de uma ideia inovadora que ele teve de lançar em um álbum, músicas que acabaram ficando de fora de outros discos ou até mesmo músicas que acabaram sendo vazadas em algum momento.

Nasir Jones não é um artista do Rap apenas para se ouvir, é para se estudar, ele é referência em técnica, estilo, atitude, em negócios e até das tretas ele conseguiu tirar proveito.

Confira a discografia e clique nos links para ouvir

Illmatic (1994)
It Was Written (1996)
The Firm: The Album (1997)
I Am… (1999)
Nastradamus (1999)
Stillmatic (2001)
The Lost Tapes I (2002)
God’s Son (2002)
Street’s Disciple (2004)
Hip Hop Is Dead (2006)
Untitled (N****r) (2008)
Distant Relatives (2010)
Life Is Good (2012)
Nasir (2018)
The Lost Tapes II (2019)

Assista ao vídeo da música “Made you look”, pelas quebradas de Nova York

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.