Acervo BF | Entrevista com DJ Rasta Roots, da Crew Smokin´Needles

0
6

Depois da entrevista com o DJ brasileiro Marc-T da Crew Smokin´Needles, agora você vai saber um pouco mais sobre a Crew nessa entrevista com o DJ Rasta Roots.

Ele é canadense, atualmente mora em Atlanta nos Estados Unidos, mas já morou no Japão e no Brasil.

Durante os anos de 84 à 87 ele morou em Copacabana (Rio de Janeiro), naquela época o Hip-Hop brasileiro ainda engatinhava e Rasta ainda não era DJ, mas já curtia o Hip-Hop desde 1979.

Dez anos depois ele se tornou DJ e em 1995 formou, com Marc, a Crew Smokin´Needles, que conta com MCs e DJs em sua formação. Além da Crew, Roots também é DJ e produtor do MC de um dos grupos mais importantes da história do Rap mundial, Phife Dawg do A Tribe Called Quest.

Além de ler a entrevista com o DJ, você poderá baixar 3 músicas inéditas do Phife, produzidas por Rasta Roots. As músicas são: “4 da cream”, “U know u want it” e “Diggy dialect” (com participação do jamaicano Hawk-eye).

Bocada-Forte: Comece falando sobre a sua trajetória, como e quando começou o seu envolvimento com o Hip-Hop?
Rasta Roots:
Eu comecei a curtir o Hip-Hop em 79, mas nos países onde morei, não tinha muita música, então eu só tive oportunidade de curtir Hip-Hop quando ia para os Estados Unidos uma vez por ano. Depois, em 89 na escola passei a ser DJ. O resto é história.

B.F: Atualmente está tocando para algum grupo ou MC?
Rasta:
 Sim, sou DJ e produtor de Phife Dawg do A Tribe Called Quest.

B.F: Quem faz parte da Smokin´Needles, como surgiu a crew e em que países já tocaram?
Rasta:
A Smokin´Needles sou eu, Phife, Prince Jamal, Marc-T, Slick & Rose e Jax. A crew surgiu no Japão em 95 idealizado por mim e pelo DJ Marc-T. Éramos 4 DJs, depois eu voltei para os Estados Unidos e a gente fez algumas coisas com Phife do A Tribe Called Quest. Agora somos DJs, produtores e também escrevemos canções.

B.F: Você é canadense, mas já morou no Japão, no Brasil e agora Estados Unidos, o que pode falar sobre o Hip-Hop nesses países?
Rasta:
 O Hip-Hop no Canadá é muito grande, tem grupos como Kardinal, Caukrates que estão fazendo barulho lá. No Japão tem muitas pessoas que curtem Hip-Hop, mas alguns só gostam do Hip-Hop comercial. Eles sabem muito do Hip-Hop e a história de tudo, é muito impressionante.

B.F: Já participou de campeonatos?
Rasta:
 Eu nunca participei, mas sim adoro esse lado da arte.

B.F: Que equipamentos você usa para produzir as músicas?
Rasta:
 Eu uso uma MPC 2000, um teclado Triton Pro e também uso músicos.

B.F: Quais os DJs que você têm como referência?
Rasta:
 DJs como Premier, Pete Rock e os grandes DJs de house.

B.F: Que músicas ou grupos não podem faltar em seu set?
Rasta:
As músicas do Ghostface, Nas, Group Home, Sade e as músicas da “era de ouro” do Rap.

B.F: Tem planos de voltar ao Brasil?
Rasta:
 Eu quero voltar para o Brasil, é um sonho meu. Quero compartilhar minhas experiências no mundo do Hip-Hop com o povo daí.

B.F: Espaço aberto.
Rasta:
Agradeço Phife, Gil, Marc-T, Prince Jamal, Hawk-eye, Mestre Silva e toda a massa brasileira!

Visitem: www.smokinneedles.com www.mp3.com/phife_dawg

Quem quiser escrever para o DJ é só mandar um e-mail para
rastaroot@smokinneedles.com.
Podem escrever, pois ele entende bem português.
www.centralhh.com.br

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.