Acervo BF | Hip Hop Pela Bahia – Fúria Consciente, Sr. Rânneo e Elemento X

Matéria do Acervo Bocada Forte, uma das primeiras em nível nacional sobre o Hip Hop Baiano. Última edição em 21 de novembro de 2019.

0
3
Fanzines da Posse Ori e Hip Hop em Movimento – Acervo BF

Já não é novidade que a cultura Hip-Hop está presente em todos os estados do país. Em alguns com mais força e cada um com suas particularidades, mesmo assim a essência é a mesma. Quem for analisar ou estudar a cultura em diferentes regiões, deve em 1º lugar conhecer as particularidades de cada uma delas. Como disse a essência é a mesma, desenvolvem os mesmos elementos, dançam os mesmo passos, pintam traços e desenhos semelhantes e cantam assuntos parecidos. As particularidades ficam por conta da cultura local, religião predominante, costumes, gírias, problemas cotidianos, etc.

Um exemplo dessas diferenças e semelhanças é o estado da Bahia, apesar de não ser tão conhecida e divulgada em outros estados, a cultura Hip-Hop existe no estado e é muito forte. Em um zine que recebi feito pela Posse Orí, o Skate é colocado como um elemento alternativo da cultura, em outro zine, o Hip-Hop em Movimento feito por Jorge Hilton (Simples RAPotargem), existe um espaço dedicado ao Skate. Os zines que recebi são uma prova da força do Hip-Hop baiano e suas particularidades, que como outros estados também está realizando um Fórum de Hip-Hop, Jorge Hilton me enviou alguns discos de grupos de Rap baianos, outra prova da força da cultura por lá. Gostaria de agradecer ao Jorge por acreditar em nosso trabalho e parabéns por acreditar no Hip-Hop feito na Bahia e divulga-lo em outros estados. Vamos aos discos:


Capa do CD – Acervo BF

Grupo: Fúria Consciente
Título: Manifestividade

Grupo formado por Yogi, Duendy e Mara que faz parte da Falange S.A.N (Só Afro-descendente Nervoso). O nome dispensa maiores explicações, o disco tem cinco faixas, sendo uma introdução, três músicas, uma faixa para os agradecimentos e foi produzido pelo DJ e produtor M.Jay. Na letra de “Somos rappers” o grupo canta “Somos rappers e assumimos nossa negritude / temos algo em comum pois isso é nossa atitude”. A faixa “Pedaço do movimento” traz uma mistura de vários samples do rap americano e uma abertura com pandeiro.

O disco termina com os agradecimentos, mas antes temos a faixa “Ponha a mão na cabeça” que fala sobre o consumo de drogas, com colagens da música “Só o pó” de Edi Rock e SNJ.


Capa do CD

Grupo: Sr. Rânneo
Título: Te desejo em dobro

Apesar do grupo levar seu nome, Rânneo conta com a ajuda de MC K.Du e o DJ e produtor M.Jay, que produziu o disco. O disco foi lançado em abril desse ano e tem cinco faixas, uma introdução, que começa com uma entrevista onde o rapper se apresenta e na seqüência vem a música “Bombardeio”, a melhor do disco e como diz o título: um bombardeio… Sonoro. Logo depois vem a faixa “Do G ao P” cantada em cima do instrumental de uma música do Eminem, com algumas mudanças e muitos scratches.

A faixa que dá título ao disco, “Desejo em dobro”, é muito louca e fala sobre o “olho grosso” (em São Paulo e outras regiões mais conhecido como olho gordo). O disco termina com o fim da entrevista iniciada na primeira faixa, lembrando que esse grupo também faz parte da Falange S.A.N.
Contatos: 0xx(71) 9999.5944 / 0xx(71) 9965.5097


Capa do CD

Grupo: Elemento X
Título: Genocídio

Um dos grupos mais conhecidos da Bahia, formado por Dinho, Gomez e DJ Edílson. Mostram nas letras uma ligação muito forte com a religião, o disco tem 13 faixas bem produzidas, sendo quatro delas bônus instrumentais e um remix. Na primeira faixa, “Evolução”, eles rimam um pouco do conteúdo de cada uma das músicas que vem a seguir. Em “Oração” (Que Deus seja louvado e Zumbi seja lembrado) eles pedem liberdade, justiça e igualdade ao criador e lembram e louvam Zumbi dos Palmares. Todas as letras são escritas por Gomez, seu talento como compositor fica evidente nas faixas a seguir: “Terra de ninguém”, letra que fala sobre a periferia; “Em que mundo nós estamos?”, letra que questiona e lamenta a violência e as pestes do mundo de hoje; “Mulher onde é que está o seu valor?” o refrão explica melhor o conteúdo da letra, “aí mulher quanto é que você custa / vou lhe pagar então quero que seja justa / quero usar e abusar de você / vou pagar inteira e a metade eu não vou querer”; “Todo o inverno é um inferno na periferia”, letra que fala sobre as tragédias que acontecem no inverno, devido às chuvas e o frio; “Genocídio” (crime cometido com a intenção de destruir um grupo humano nacional, racial, étnico ou religioso), faixa título e a mais longa do disco, fala sobre a escravidão e o extermínio dos índios brasileiros, a levada é muito boa e no instrumental pode-se ouvir o atabaque ao fundo; “Salmo 10 (Bíblia Sagrada)”, é um texto falado e não uma música.

Contatos: 0xx(71) 388.1605 / 0xx(71)9943.0269

Para saber um pouco mais sobre o Hip-Hop baiano Acesse o site Ataque Frontal.

Outros grupos de qualquer região do país que queiram ter seu trabalho divulgado aqui, escrevam para gil@bocadaforte.com.br.

http://centralhh.com.br/produto/publicidadebf/112455
Anuncie no BF, clique no banner!

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.