Acervo BF | C.IN.B 2001 – Campeonato Individual de Breaking

Matéria do Acervo Bocada Forte, publicada pela 1ª vez em 12.03.2001. Última edição em 03.06.2021

0
53

Para aqueles que dizem que o Hip-Hop está morto, foi realizado no último Sábado (10/03/2001) no Sesc Itaquera um evento, que com certeza, já entrou para a história do Hip-Hop brasileiro como um dos maiores, melhores e bem organizados.

O C.IN.B., campeonato realizado pela Spray Studio, foi a abertura de um Projeto chamado ‘Fala, Mano!’ do Sesc, em parceria com a Prefeitura de São Paulo, como apoio ao Projeto Belezura. Com o objetivo de promover diversas atividades que envolvem o universo da cultura Hip-Hop, o evento aconteceu em diversas unidades do SESC, entre os dias 10 de março e 15 de abril.

O evento teve alguns atrasos que foram compensados pelo nível e qualidade das atrações, o desempenho dos B.boys, tanto no campeonato quanto nas rodas espalhadas pelo ginásio, foi de arrepiar e arrancar palmas de todos os presentes. Os que não acreditam no Hip-Hop puderam sentir a força da cultura de ruaque atraiu, de acordo com os organizadores, mais de 3.000 mil pessoas. As crews de São Paulo e outras cidades e Estados do país mostraram que Hip-Hop não é só REP, a dança também é um elemento ativo da nossa cultura
e que tem muitos adeptos. Meu destaque para a B.girl Jack, única participante mulher, que não deixou a desejar e representou muito bem as mulheres. Parabéns!!!

O Graffiti também estava presente em banners espalhados pelo local, grafiteiros da velha e da nova escola marcaram presença no evento, o que é muito importante para fortalecer a cultura. No intervalo das eliminatórias ainda teve a apresentação da banda de funk (o verdadeiro) Sudaca, muito boa.

Os MCs também estavam presentes e fizeram a sua parte no palco, Max B.O, Paulo Napoli e Akin Tech (Academia Brasileira de Rimas) e G.Box, J.L e Slim (Casa do Hip-Hop de Diadema) mostraram a arte do improviso com DJ Nuts (campeão do Hip-Hop DJ 2000) nos toca discos.

O que todos os presentes viram foi que a Academia não é unanimidade quando se trata de freestyle, está na hora de aparecer mais alguns rimadores de talento para diversificar as batalhas, para não ficar sempre só entre essas duas equipes.

A Batalha desse dia é histórica, confiram um trecho

O Beat Box talvez tenha sido o ponto mais alto dessa tarde de Hip-Hop ao lado do Breaking. Esse pessoal parece ter instrumentos no lugar das cordas vocais, realmente é impressionante e não dá para acreditar que os sons são feitos com a boca, mas são. Quatro Beat Boxers dividiram o palco entre eles Fernandinho do Z’África Brasil o melhor, sem desmerecer dos outros. RAP, Funk, Samba, Samba rock, drum’bass ele é um instrumento musical humano, incrível. Os outros também mostraram o seu talento e não deixaram de mostrar também a sua admiração por Fernandinho, referência para alguns deles.

Cultura Hip-Hop na sua totalidade, todos os elementos unidos, sem brigas, sem drogas (só a presença da rede globo). É tão estranho, várias emissoras de TV estavam cobrindo o evento, mas quando ligo a TV não vejo nada de Hip-Hop e quando vejo é totalmente distorcido, vi gente que não conhece bem a cultura dando entrevista para a Globo, um prato cheio para que distorçam mais ainda a cultura. Os meios de comunicação ligados ao Hip-Hop não podiam faltar, representantes de revistas, sites, jornais, fanzines e de um programa de TV ainda sem previsão de estreia fizeram a cobertura e vão mostrar a verdadeira cultura Hip-Hop, tinha até um repórter francês na parada.

www.twitch.tv/bocadaforte
Precisamos valorizar todos os elementos da nossa cultura inclusive a sua mídia, o público e admiradores que fazem com que a nossa arte de rua cresça a cada dia forte e saudável. Vamos deixar de lado as diferenças e se importar mais com as semelhanças. Abaixo confira os vencedores do campeonato.

Casper (Back Spin Crew)
Leandro (DF Zulu Breakers)

Esse campeonato foi lançado em VHS, que foi comercializado pela Spray Studio, confira mais detalhes sobre os participantes de cada elemento:

Graffiti – Grandes produções, workshops, Banners e exposições de quadros envolvendo os artistas Ciro, Titi, Flip, Binho, Nois, Victor, Chorão, Tinho, Tchais, Zezão e John da Casa entre outros.

DJs – Perfomances, batalhas e discotecagens com DJ Jeff Bass, DJ Ninja, DJ Cia, DJ David, DJ D.Vyzor, DJ Nuts, DJ Brown (residente) e DJ Alan (residente).

MCs / Freestyle / Funk – Shows de Original Rap, Batalhas de Freestyle e Funk ao vivo: Break Mania/Renegados, Banda Sudaca, Academia Brasileira de Rimas, Max B.O.Akin TechPaulo Napoli X G.BoxSlimJL.

Beat Box – Sons instrumentais feitos com a boca: Fernandinho BeatBox, Minoru, Thiago e Kurts.

Breaking – Workshop com Eduardo Sô, círculos de dança e batalhas do C.IN.B.

CompetidoresBruno (New Crazy B.Boys), E.V.Freeze (Sampa Master), Chorão (Corpo 1), Jefinho (Die Hard Crew), Andrézinho (Corpo 1), Leandro (DF Zulu Breakers), (Ready Style Crew), Pelé, Jackeline (Just B.Girls), Kenny (Foot Work Crew), Cásper (Back Spin Crew), Alien man (B.Boys New Style), André (Guetto Freak), Duda (Suburban Break), Léo (DF Zulu Breakers) e Catatau (Jabaquara Breakers).
www.centralhh.com.br

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.