Ouça o álbum ‘Selva de Pedras’ de Taik

#RapBRASILEIRO | Distante 356 km da capital Porto Alegre, a cidade de Pinheiro Machado, no interior gaúcho, tem pouco mais de 12.000 habitantes. Se já é difícil obter destaque na cena do Rap à nível nacional, imagine alguém que vem de uma cidade ‘longe demais das capitais’, como profetizava Humberto Gessinger, na lendária Engenheiros do Hawaii, já em 1986.

Mas perseverança e foco nunca fugiram da alçada do jovem Taikiro Pereira da Cunha, de apenas 23 anos. Ele que atende pelo nome artístico de Taik cresceu ouvindo o que chegava das cidades da região sul, como Pelotas, Rio Grande, e porque não dizer também daquela capital que se encontra há mais de 5 horas de distância da sua Pinheiro Machado.
E foi justamente em Porto Alegre que Taik obteve uma das suas maiores conquistas até hoje na sua breve história dentro do Rap. No ano passado, a RBS TV, filiada da Rede Globo no RS, organizou a 2′ Batalha do Conhecimento, competição que reuniu diversos MC’s do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. E nessa segunda edição, com final apresentada ao vivo para todo o RS, direto da Usina do Gasômetro, Taik saiu-se vencedor.
Com direito à desfile em carro aberto, Taik chegou à sua cidade com toda a pompa que a vitória merecia, mas mais do que isso, pôde enfim ter o reconhecimento artístico que vinha buscando obter em sua cidade. E agora outra importante conquista de Taik chega às ruas: o CD Selva de Pedra (2018). Composto por 10 faixas, com participações de Maninho RH, FILL e Srta. Paola, produções de LiipBeats e Skeeter, e arte-final da Lab 13, o álbum de Taik surpreende pela qualidade de letras, idéias e contextos, além das ótimas instrumentais.
A seguir, fizemos uma analise faixa a faixa do disco de estréia de Taik, segue as ideias:
Selva de Pedra (participação Srta. Paola e produção de Skeeter)

Na primeira faixa do álbum, Taik já mostra à que veio. Com uma letra que fala dos percalços que os jovens encontram nos dias de hoje, como amigos que foram para os caminhos do crime, o ódio também que está tão presente, Taik se auto-denomina um Davi, o homem capaz de derrotar gigantes e defender seu povo. Ao fim da música, Taik afirma que venceu o crack e que não deseja morrer cedo, assim como morreu Tupac.

Final dos Tempos (produção LiipBeats)
Primeira produção do Liip no álbum, já mostra toda a qualidade que o jovem produtor é capaz de dar à cada faixa que vem criando. Com um ar sinistro, meio apocalíptico, a instrumental vai dando entrada para que Taik venha narrando exatamente as questões que nos fazem crer que o fim dos tempos está cada vez mais próximo.
Com temas que abordam exatamente esse momento delicado que a humanidade hoje vive, como drogas, falta de amor, desesperança, a letra nos causa uma reflexão profunda. A busca incessante ao conforto, ao luxo e aos bens materiais também são tratadas na letra, nos alertando que todos esses pecados serão cobrados no dia do Juízo Final.

É do Alto (participação Maninho RH e produção LiipBeats)
Depois do ar sinistro do beat anterior, Liip dá uma baixada na poeira, trazendo uma instrumental mais calma, onde Taik versa sobre todas as curas que Jesus fez nos seres humanos, e que mesmo assim foram capazes de o crucificar. E antes do refrão se pergunta: até quando vamos viver no pecado? E em seguida, já no refrão, vem a primeira das quatro participações de Maninho RH no disco. Com sua voz suave e extremamente afinada, já tão particular aos seus trabalhos, Maninho dá o pontapé inicial às suas investidas na obra de Taik.

Lutando Contra o Mal (produção LiipBeats)
Com um flow mais acelerado, Taik lembra nesse som que desde os 15 anos vem fazendo do Rap sua forma de expressão, onde prega os caminhos da paz, e que é justamente através do Rap, que ele sonha em vencer, através do seu talento. É um som reto, sem refrão, onde Taik descarrega suas idéias nos 2 minutos e 41 segundos de música.

Porque Deus Ajuda (participação Fill, Maninho RH e produção Skeeter)
Depois de uma ‘overdose’ de Liip, retorna o momento do Skeeter, que já havia estado presente na introdução do disco. E a base vem trazendo um testemunho de Taik, onde fala que se não fosse a direção de Deus na sua vida, poderia estar preso ou morto.
Relata traumas da infância, mas sem se eximir dos seus próprios erros. E Maninho mais uma vez dá sua contribuição perfeita aos refrões. Na segunda parte chega Fill, talentoso MC de Pelotas (assim como Maninho RH), que já se especializou em tratar em suas letras problemas como se fosse um psicólogo (não à toa, tem um belo álbum chamado Três Pintas em Minha Mente (2014)), sempre buscando soluções para a mente humana.

Valorize a Vida (participação de Maninho RH e produção de LiipBeats)
Nesse som mais uma vez Taik honra o nome de Jesus Cristo, fazendo questão de lembrar que onde vai sempre agradece à mudança que a religião foi capaz de fazer em sua vida. E novamente Maninho RH está no refrão, mas dessa vez não somente no refrão, a segunda parte do som traz toda a competência vocal que Maninho tem também ao rimar, lembrando sua origem no Rap. Essa faixa foi a primeira a ter um clipe desse álbum.

Rei dos Reis (produção LiipBeats)
Nessa faixa Taik mostra que apesar de já ter sido um derrotado, devido ao seu envolvimento com drogas, através da sua arte conseguiu obter destaque, sendo capa de jornal, ter aparecido na TV. E deve tudo isso à oportunidade de poder ter sua história reescrita.

Força de Vontade (participação de Maninho RH e produção de LiipBeats)
Nesse som Maninho faz sua última participação, encerrando assim com chave de ouro sua contribuição, talvez no refrão mais elaborado e mais marcante do disco. E mais uma vez faz a segunda parte do som, além do refrão.

Solidariedade (produção Skeeter)
Com um beat criado em cima de um som que remete à nostalgia, Taik vem num flow carregado, rápido, lembrando que a família é a base de tudo, e que o respeito à mãe e ao pai é essencial. Numa cutucada à sociedade atual, que não é unida e que dá as costas aos problemas sociais, Taik mostra que se não houver gestos e atos de amor ao próximo, haverá menos paz e mais famílias destruídas.

Não Desista de Sonhar Parte 2 (produção LiipBeats)
O disco fecha com um som que mostra que apesar de todas as conquistas já obtidas, Taik ainda se sente pequeno quanto aos problemas. Diz ainda não estar preparado para as perdas, como de sua mãe, caso aconteça. E diz que as vezes que cita Jesus, não foi à toa, e sim por ter sido Ele que lhe deu o dom de sua vida. Nesse som inclusive Taik revela que já pensou em se suicidar, mas que seu sonho ainda se mantém vivo, pois a fé é seu maior combustível. Essa foi outra faixa do álbum que contou com um clipe.

Ouça o álbum em todas plataformas digitais: https://songwhip.com/album/taik/selva-de-pedra

Texto por Gagui IDV | Edição por Bob Raplv

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.