O Som É | ‘Walk this way’: a parceria histórica entre Run D.M.C e Aerosmith completa 33 anos

0
155
Foto da capa

No dia da independência dos Estados Unidos, um grupo de Rap conseguiu entrar para a história da música mundial. Foram os primeiros a ficar no top 5 das paradas e resgataram uma banda de rock até então esquecida.

Em 4 de julho de 1986 chegava às lojas o single da música “Walk This Way” do Run D.M.C, uma regravação da banda de hard rock Aerosmith – originalmente esta faixa foi lançada em 1975, no disco “Toys in the attic“, o terceiro da banda.

Com o Aerosmith a música também fez sucesso na década de 70, chegando ao top 10. Mas na metade dos anos 80 a banda estava longe do mainstream. Alguns integrantes tinham deixado a banda e outros enfrentavam graves problemas com drogas.

Ouça a versão original, de 1975

Não é fácil escrever sobre uma música que é historicamente importante para dois estilos musicais. O som foi lançado quando o Hip-Hop ainda era uma “criança”. Provavelmente os DJs Kool Herc, Grand Master Flash e Afrika Bambaataa tenham feito algum loop com esta música em suas festas no Bronx. Digo isto por conta da batida, mas é apenas uma suposição. Pode ser que isto tenha acontecido ou não, porque o próprio Run D.M.C, antes de lançar oficialmente a regravação, já tinha usado o loop para fazer um freestyle. A batida inicial também foi usada, alguns anos depois, por outros grupos de Rap. Por exemplo: De La Soul, na música “Keepin’ the faith”, e pelo Digital Underground, com participação do 2Pac, na música “Same song”.

A música na versão original tem uma batida característica do Funk dos anos 70 e um riff de guitarra, que de acordo com o o guitarrista Joe Perry, autor da música ao lado do vocalista da banda Steven Tyler, foi inspirado em músicas do The Meters. O produtor Rick Rubin e o gênio Russel Simons foram peças chave para que essa música entrasse no disco. Os MCs Run e D.M.C não queriam. Já DJ Jam Master Jay não fez nenhuma objeção e, no final das contas, após uma ligação de Russel pedindo que eles apenas fizessem o que Rick estava pedindo, ela acabou sendo o single mais importante do terceiro álbum do grupo, o “Raising Hell“.

Foto da contracapa

O single traz a versão LP, o instrumental e ainda a música/single “My adidas”.

Do mesmo album saíram mais dois singles, “You be illin’” e “It’s tricky”.

O foco aqui não é o álbum, mas como já escrevi aqui no BF sobre o disco, vale registrar novamente que ele é um dos mais importantes do Rap mundial. Boa parte da geração anos 80 ficou conhecendo o Rap com este álbum.

Esta não foi a primeira parceria do trio com o rock. Eles já haviam feito isto no primeiro álbum, o “Run-D.M.C“, com a música “Rock box”. No segundo álbum, “King of Rock“, eles usaram guitarras em muitas músicas, mas isto ficou mais evidente nas faixas “King of rock”, “Can you rock it like this” e “You’re blind”.

Com “Walk this way” e com o álbum, eles conseguiram ser um divisor de águas para o Rap, para o Aerosmith e consequentemente para o Rock. A partir daí, as parcerias entre o Rap, o rock e todas as suas vertentes se tornaram algo comum. Virou uma espécie de fórmula do sucesso para algumas bandas de rock novas ou esquecidas, já que do meio dos anos 80 em diante o Rap foi a música em evidência. Grupos como Beastie Boys, Public Enemy, LL Cool J, Whoodini, Kool Moe Dee, Boogie Down Productions e tantos outros eram as estrelas.

Curta a página do BF no Face – @bocadafortebf

Com esta música o grupo conseguiu ficar em 4º lugar na Billboard, chegando mais longe do que a versão original nos anos 70 e ainda mais. Foi o primeiro grupo de Rap a conseguir esta colocação.

O rock também é música negra, isto é fato. Mas nos anos 80 eram poucos os músicos negros fazendo sucesso com bandas de rock. Com esta parceria, o Run D.M.C conseguiu quebrar uma barreira de preconceito que vinha dos dois lados. No vídeo da música isto fica evidente. O filme mostra ambos no estúdio, ensaiando, divididos por uma parede, e os riffs de guitarra interferem nos scratchs, nas rimas e nas batidas e vice-versa, atrapalhando ambos os ensaios. Mas quando a parede é derrubada, eles começam uma espécie de batalha, que em seguida vira uma união e todos seguem ‘felizes para sempre’…

A letra
A letra da música é bem fraca. Basicamente fala sobre um adolescente que perde a virgindade no ensino médio. Um dos motivos de resistência dos MCs do grupo em colocar a música no disco, era o fato de regravar algo que eles não tinham escrito, já que a música não sofreu grandes alterações na letra. As mudanças foram feitas no andamento e deram um pouco mais de peso com a batida e os scratchs de Jam Master Jay.

P.S.: As fotos da capa e da contracapa tirei da minha cópia, que faço questão de ostentar, pois foi um achado. Lançada aqui no Brasil pela Polygram Discos, eu paguei apenas R$ 8,00, “garimpando” no centro de SP. O Google tem tudo, mas a gente gosta de ser autêntico. O disco “Raising Hell” foi lançado em 15/5/1986

Assista ao vídeo e confira a parceria histórica

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.