Entrevista: Livre Ameaça no Hip Hop Feminino

11120048_1576266935955278_6264197794643745076_n

Por Nerie Bento, Hip Hop Feminino. Em parceria com Bocada Forte

Elas ganharam o Prêmio Hutuz na categoria “melhor demo feminino”, também foram destaque como “melhor site de grupo feminino” na premiação Hip Hop Top (SP). Já tiveram seu trabalho divulgado na MTV, Globo, Radio 105 Fm, site Rap Nacional, Mulheres no Hip Hop, Bocada Forte e Jornal estação Hip Hop.

As MCs Lunna Rabetti e Niely, ao lado da DJ Simmone Lasdenas, fazem parte de uns dos grupos mais representativos na cena feminina. Conheçam o trabalho do LIVRE AMEAÇA, cujo nome vem da importância de lutar para ser livre ao mesmo tempo em que a sociedade culturalmente entende o ser livre como uma ameaça, principalmente quando a atitude vem da mulher.

HHF – Apresentação:
O nome Livre Ameaça (LA), vem da importância de lutar para ser livre ao mesmo tempo em que a sociedade culturalmente entende o ser livre como uma ameaça, principalmente quando a atitude vem da mulher. O grupo participou do Premio “Hutuz – RJ” na categoria “melhor demo feminino” na qual ganhou em primeiro lugar por voto popular. Foi premiada também no “Hip Hop Top – SP” como melhor site de grupo feminino.

O grupo se apresentou em diversos locais pelo Brasil, participou de entrevistas nos meios de comunicação como MTV, Globo, rádio 105 Fm, site Rap nacional, site Mulheres no hip Hop, Bocada Forte, Jornal estação hip hop, dentre outros…
O grupo ainda participou dos CDs coletâneas: 12 Revelações da 105 FM, Reviravolta Máfia, Mulheres Guerreiras de Brasília e São Paulo tem a Voz.

HHF – Processo de criação:
As letras normalmente são escritas por mim (Lunna), com palpites e sugestões da Niely e Simmone. A Simmone pega no meu pé para escrever letras mais underground, nesta nova fase do grupo teremos um estilo mais diversificado.

HHF – Relação com fãs:
Temos uma relação de diálogo com quem curte nossas músicas, mas também damos muita atenção aos  que criticam de forma construtiva, pois ouvimos as opiniões diversificadas das pessoas e com isso vamos aperfeiçoando o trabalho artístico. Viemos de uma escola de aprendizado importante na historia dos anos 90, vivenciei a forma de produzir com poucos acessos tecnológicos, assim como vivencio hoje todo o acesso possível e com muita mais facilidade. Participei desta evolução e essa experiência é que levo pra minha vida valorizar cada fase.

HHF – Projetos:
Estamos em fase de compor novas letras, agregar novos conteúdos em vista de que com o passar dos anos fomos adquirindo novas experiências, novos conhecimentos e posicionamentos.
É importante ressaltar que as instrumentais do grupo foram feitas por DJs e produtores como Erick 12, Dj Vand, Duck Jam, dentre outros. Todo processo é independente.

HHF – Proposta:
Contribuir para a disseminação da informação, da discussão, do debate. Proporcionar nas pessoas a reflexão, o pensar sobre determinado assunto.

HHF – Influencias:
Vish, é bem complexa e particular, pois somos 3 pessoas de épocas diferentes, eu sou a mais velha do grupo, trago comigo referencias mais antigas, gosto de ouvir a sonoridade do jazz do blues, também sou da turma que curtiu muito Tupac, MC Lite, Cypress Hill, Rum DMC, levo muito o rap gangsta pras minhas musicas, também tenho uma forte influencia da MPB, cresci ouvindo Elis Regina, Raul Seixas, Jorge Bem Jor, Tim Maia, e curti muito Bezerra da Silva, então vocês poderão identificar na voz da Cristina Araujo (Participação em back-vocal no grupo) um toque forte de MPB, agora estou misturando tambores, a musica africana esta mais próxima, então para as próximas musicas vocês ouvirão minha africanidade aflorada, vem novidades por ai… Do rap nacional gosto da velha escola, e lógico que Dina Di é uma grande referencia, também Sharylaine, Rose MC, Doctors MC, Expressão Ativa, Bela Donna, Cartel ZO, Alerta ao Sistema, Império ZO, dentre outros… Me desenvolvi no RAP crescendo com a maioria destes grupos, também ouço bastante Atitude Feminina, Feniks, me identifico com Palavra Feminina, Refém, Vera Veronika, Odisseia das Flores, mas minha maior influencia no FLOW sempre foi Bone e 36 Mafia. A Niely hoje esta com 12 anos, ela estuda violino e agora esta se dedicando as pickups o que esta dando a oportunidade de se aprofundar na musicalidade, ela ouve de tudo, desde pop como Ariana Grande, Beyonce, até o rock do Slipknot, Dj Simmone é um caso a parte, vale fazer uma entrevista só com ela pois ela tem uma bagagem tremenda.

HHF: Importância da pagina:
Sem duvida mais um canal de divulgação e visibilidade para as mulheres que sempre ficam escondidas por falta de oportunidades como esta.

HHF – Indicações:
Uma é difícil, trabalho com as mulheres no hip hop, tenho muitas indicadas de todos os elementos, mas já que tem que ser uma, vou fazer o jabá né!

HHF – Comunicação:
https://myspace.com/livreameaa
http://palcoprincipal.sapo.pt/bandasMain/…/video/rA8RqeMM26g

barra_separadora
dpinot-capa-meus-trintaHIP HOP NO MONTE
Hip Hop no Monte e #BocadaForte16anos convidam DPinot para o lançamento do álbum “Meus Trinta“. O evento será realizado no dia 20 de junho, no Espaço Comunidade, na zona sul da cidade de São Paulo. Clique na imagem e saiba mais.

 

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.