Conectado ao mundo e com muitas participações, Afu-ra lança o álbum ‘Urban Chemistry’

Capa do álbum

Em se tratando de música, acredito que quem é bom no que faz, sempre vai ser. Alguns melhoram com o tempo, outros se mantem, os que não conseguem é porque nunca foram bons, pelo menos não fazendo música.

Essa é a minha teoria. Posso estar errado, mas Afu-Ra chegou com disco novo para reforçar o que penso sobre a relação entre arte, dom e talento. Aos 46 anos, completados em 31 de janeiro, ele está em plena forma – musicalmente falando.

Nos dias de hoje lançar um álbum com 18 faixas não é para qualquer um. O título do álbum é ‘Urban Chemistry’ e tem participações em todas as faixas, alguns são nomes de peso.

Assista ao vídeo da música “Kiss the pain”

Afu-Ra se conectou a vários artistas de diferentes países, principalmente França, que tem uma tradição muito forte na música Rap. Mas as participações se dividem ainda entre Estados Unidos, Colômbia, Jamaica, Holanda e Espanha. No total são 20 os convidadxs a dividir as rimas e refrões com o MC do Brooklyn.

Assista ao vídeo de “Unstop”

Sua ligação com o ragga sempre foi forte e neste disco está muito presente. Qualquer um que escrever sobre o disco, vai ser obrigado a usar duas palavras e/ou suas derivações e sinônimos: diversidade e conexão. Já foram lançados vários vídeos e ao que parece todas as músicas terão a sua versão audiovisual, pois com o apoio de uma empresa ele viajou por 15 cidades, em 8 países, captando imagens.

Assista ao vídeo de “Lyrics fly”

A produção ficou por conta da dupla de produtores franceses Digital Cut (Philippe Cousto e Jonathan Korban). Dois nomes que estão entre os featurings são bem familiares e conhecidos do público em geral, como o jamaicano Sizzla, que participa na música “Firetricity”. O outro é Big Shug, que foi parceiro de Afu enquanto ele esteve próximo da Gang Starr Foudation no início de carreira.

Assista ao vídeo de “Rise up”

Shug participa da música que dá título ao álbum, juntamente com a francesa Keny Arkana. Esta rima muito – ela entregou um CD demo pro BF quando esteve no Brasil em 2000 e alguma coisa. Outros dois franceses que conheço o trabalho por conta do grupo Assassin, que também esteve no Brasil, são Lyricson e Taïro. Os dois são muito bons, vale a pena pesquisar e conhecer mais sobre eles. Lyricson canta em “Rise up” e Taïro canta na “Take me along”.

Assista ao vídeo de “Reign on me”

É muito importante que artistas consagrados façam conexões com artistas menos conhecidos mundialmente, assim ficamos conhecendo talentos que talvez não chegassem até nós. Os nomes escolhidos são muito bons e entre todos eles destaco todas as mulheres. A holandesa Starrlight é zica na rima e no flow (ouça mais no canal dela). Ela abre o disco com a música “Unstop”. Em “Body’s jumping” a cantora francesa Célia Kameni vem na mesma pegada da dupla Zhané, na clássica “It’s a party”, de Busta Rhymes.

Outras duas cantoras francesas roubam a cena: LMK, em “Therapy”, e Myriam Sow, em “Kiss the pain”. A rapper californiana Gavlyn rima com ele sobre o caminho que trilharam até o sucesso, na faixa com o título em latim “Veni vedi vinci” (Vim vi venci). A faixa também tem scratchs e colagens, mas não sei quem é o DJ que fez.

Assista ao vídeo de “Molecular”

A costa oeste dos Estados Unidos tem mais um representante. O rapper Mann rima na faixa “Reign on me”. A “Be strong” (Seja forte), é um título que fala por si só e o refrão é cantado por Dave Dario. Como já citado, a fusão entre o Rap e o Ragga é constante durante todo o álbum e não é só a Jamaica que está representada. O espanhol Sr Wilson faz o refrão de “Lion Science” e o veterano francês Lord Kossity empresta sua voz grave e rouca e canta em inglês e francês na faixa “Lyrics fly”. Charly B, outro raggaman francês, participa da música “Me my sensi”, rimando sobre e fortalecendo a conexão Paris-Nova York. Skarra Mucci, veterano representante da música jamaicana, famoso na Europa, rima e faz o refrão de “Money change”.

Faltam citar só mais dois grandes nomes jamaicanos: um deles é Stranjah Miller, que participa de “War chemicals”. O outro é Jah Mason. Ele participa com o colombiano Rocca na música “Molecular”. A última música do disco é sobre o amor entre as pessoas, entre povos. Mais amor e menos guerra. O título é “I try” e tem a participação do cantor Q.

Ouça o álbum completo

PUBLICIDADE – CONHEÇA A LOJA CENTRAL GIRLS

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.