As batalhas de rap de vikings que a história não deve esquecer

0
210

#ReviewsSe a história nos diz alguma coisa, é que ouvir sobre Vikings inventando batalhas de rap não deveria ser uma surpresa. A história é cheia de esquisitices e os Vikings eram muito mais complexos do que a maioria das pessoas acreditaria, com uma cultura que valorizava a sagacidade e astúcia tanto quanto valorizava as proezas físicas. As raízes da palavra flyting estão na palavra do inglês antigo flītan, que significa “brigar”. A palavra sueca flyt hoje significa “flutuar”, mas em nórdico antigo a palavra flyta significava “provocação”. Então, basicamente, estamos falando sobre “flutuar uma briga provocativa“, que é uma descrição bastante apropriada do que ocorreu nos tempos antigos, quando os vikings se atiçaram e queriam ter uma batalha de inteligência. Mais formalmente, voar é uma forma de ritual, onde insultos poéticos são trocados. Parece um divertido (Risos)!

E foi divertido. Não é novidade que a bebida (O nosso vinho barato, nas mochilas) era frequentemente envolvida, e o comércio de farpas (pequenos cavalos) era praticado principalmente entre os séculos V e XVI. A literatura nórdica é cheia de histórias sobre a ida dos deuses, e foi um precursor das batalhas de rap de hoje, muitas vezes incluindo calúnias, acusações de covardia e insultos sexuais. Em Lokasenna , o deus Loki insulta os outros deuses no salão de Ægir, enquanto no poema Hárbarðsljóð, Hárbarðr troca farpas com ninguém menos que Thor.

“Não mais o guardarei em segredo: 
foi com tua irmã que 
você teve um filho assim 
pior do que a si mesmo.”

—Hárbarðr, de Lokasenna

Em Beowulf, Unferth desafia Beowulf voando com ele e como uma maneira de interrogar. Flyting exigia um extenso vocabulário e, através dos Vikings, provou sua “superioridade” intelectual.

Assim como hoje, compondo espontaneamente uma réplica seca era como alguém mostrava cérebros e engenhosidade, e era frequentemente usado como um teste ritualístico. Então, se você tem uma língua ágil e pode lutar com o melhor deles, faça como um Viking e derrote seu inimigo … intelectualmente.

Em homenagem ao nosso amigo Vinicius Panda, que é um viciado em séries toscas (risos) e metal pesado. E agora um novo apreciador de RAP.

Texto: Judi Lembke | Bob Raplv

Edição: Bob Raplv

 

 

 

 

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.