Em 92, Common estreia no Rap. Em 98, Cypress Hill lança álbum marcante

0
30

Em 06 de outubro de 1992, um dos maiores MCs do Rap mundial fazia a sua estreia, registrada fonograficamente no álbum ‘Can I Borrow a Dollar?‘, sob o nome de Common Sense, hoje apenas Common.

Com o disco, ele colocou a cidade de Chicago no mapa do Rap e também colaborou para fortalecer a carreira de produtores como o NO I.D e The Twilite Tone. O produtor NO I.D também rima nesse disco, sob o nome de Immenslope ele participa da faixa “Two scoops of raisins”.

No total são 13 faixas e três singles: “Take It EZ”, “Breaker 1/9” e “Soul by the pound”. Foi um álbum bem recebido, mas os temas das letras e a maneira que ele se refere às mulheres, principalmente, estão há anos luz do “galã” de hollywood que conhecemos hoje.

Assista ao vídeo de “Take It EZ”

O disco não é um clássico, diferente do ‘Resurrection’, que foi o álbum onde ele conseguiu cravar de vez o seu nome entre os grandes MCs de todos os tempos e a partir daí suas letras foram melhorando.

É preciso também levar em conta que em 1992 ele tinha apenas 20 anos, estava mais preocupado em brincar com as palavras e o flow. É o disco de um jovem que falava muito sobre bebedeira, não se referia às mulheres com o devido respeito, poucos flashes de maturidade, mas com muito talento e potencial para evoluir. Algo que ele já tinha na época e que manteve até hoje, foi o amor e o compromisso com a Cultura Hip Hop. O álbum ainda teve uma produção do The Beatnuts, a faixa “Heidi hoe”.

Assista ao vídeo de “Breaker 1/9”

Curiosidade: Um outro mano de Chicago também lançou seu primeiro álbum em 1992, mas em abril e também mudou de nome. Trata-se de Tung Twista e o disco ‘Runnin’ Off at da Mouth’, que depois passou a ser apenas Twista. O seu segundo álbum também foi intitulado ‘Resurrection’, o que causou problemas por ter o mesmo nome do disco do Common. Por conta disso o disco do Twista só foi lançado em Chicago.

Assista ao vídeo da música “Soul by the pound”

Ouça o disco

Intitulado ‘Cypress Hill IV‘ o disco dos latinos mais famosos do Rap, o Cypress Hill, é o quarto disco do grupo. Lançado em 06 de outubro de 1998, é um álbum com 17 faixas e mais 4 faixas bônus. Esse álbum marcou o retorno de Sen Dog, muito melhor e participando muito mais das músicas, marcou também a aparição de Barron Ricks e Chace Infinite. Mesmo com muitas músicas é um álbum com poucas participações, além dos já citados teve a presença da lenda do gangsta, MC Eiht.

Assista ao vídeo de “Tequila Sunrise”

Não traz muitas novidades em relação ao que eles já vinham fazendo, talvez um flerte maior com o Rock. É um bom álbum, Cypress Hill tem uma regularidade em seus trabalhos que poucos artistas conseguem ter, mais uma vez DJ Muggs surpreendeu, até acho que ele por muitos anos foi um produtor subestimado. As músicas bônus são: “Case Closed”, “Rags to Riches”, “Champions” e “Tequila Sunrise” (Spanish Version).

Assista ao vídeo de Dr. Greenthumb”

A capa do álbum são três esqueletos que fazem referência aos três macacos sábios que querem dizer – não ouça o mal, não fale o mal e não veja o mal. Foram três os singles lançados: “Audio X”, que pelo menos por aqui não fez tanto sucesso e creio que nem na história do grupo seja uma música muito lembrada; Dr. Greenthumb”, essa já com um sucesso um pouco maior; Tequila Sunrise, com participação de Barron Ricks, que se tornou um clássico e por aqui foi a de maior sucesso, tocando em diversos programas de rádio, mesmo os que não eram de Rap.

Ouça o disco sem as faixas bônus

PUBLICIDADE – CONHEÇA A LOJA CENTRAL GIRLS

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.