Segunda SOUL #3: pare tudo e ouça a voz marcante de Alice Clark

0
133

Lançado originalmente em 1972 pela Mainstream Records, o álbum homônimo da cantora Alice Clark, produzido pelo mestre Bob Shad em parceria com o arranjador Ernie Wilkins, foi disponibilizado neste mês no site Bandcamp, a casa da música alternativa. O disco conta com um respeitado time de músicos, com destaque para o baterista Bernard Purdie e o guitarrista Cornell Dupree.

A voz singular de Clark trafega tranquilamente nos instrumentais da soul music- cheios de referências de jazz- para cantar a dor, saudade, amor, certo desespero e esperança. Como a coluna do BF resgata, sampleia e recorta a passagem do tempo, preferimos a esperança, sempre a esperança.

Em tempos de correria, a música continua fazendo parte da vida. Mas a música também é a vida que se descarta em posts rápidos, releases copiados, likes e plays comprados, sucesso disfarçado, popularidade inflada nas redes sociais, entre outros fatores que vão contra a origem do nome desta coluna.

Como Alice Clark, Segunda Soul é a alma que canta e pede atenção, mas também aprendeu que é melhor falar sozinha em certos momentos.

Infelizmente, a cantora não conseguiu destaque na indústria da música. Seus discos não foram sucessos comerciais. Alice Clark começou sua carreira em 1968 e terminou em 1972. Gravou quinze músicas durante três sessões de gravação, incluindo dois singles e seu álbum de 1972.

OUTROS TRÊS
É pra dançar! Curtas os sons a moderna mistura acústica e pesadona de Meissa Jones, passando pelo flerte do Rap com o neosoul de Cielo e chegando aos beats de Sleepin Giant.

“SHE BE”, NO LOVELY THING (featuring MELISSA JONES)

“IT WAS ALL A DREA”, CIELO

“IT’S TIME”, SLEEPIN GIANT

Nascida na década de 1940, no Brooklyn, Clark morreu em 2004, vítima de câncer, aos 57 anos.

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.