Projeto ‘Rap Hour’ resgata sons da antiga direto do vinil

0
15

ju

Por: Daniella Pimenta

Com batismo inspirado no álbum “Do you no what time it is?” do rapper Kool Moe Dee, que ostenta um relógio na capa dando o mote para o RAP HOUR, o projeto comandado pela dupla de DJs Ju Mineira e Nat Jakovac têm como foco resgatar e valorizar os sons mais clássicos do rap por meio de discotecagens feitas exclusivamente em vinil.

A festa, que acontece na Casa Brasilis (misto de café + rolê + loja de discos), em São Paulo, mesmo espaço que abriga o projeto sensacional chamado Beat Brasilis (em breve falarei sobre ele com detalhes), recebe convidadas e convidados que levam suas coleções de discos de rap para girar.

O mais interessante nesse contexto é a origem da referência musical de Ju e Nat. Mineira faz parte de dois coletivos focados exclusivamente em música antiga jamaicana (Reggay Oldies e Let It Burn), e Jakovac é conhecida por sua aprofundada pesquisa musical focada em sons obscuros nacionais.

nat

“Quando eu me mudei pra capital paulista, pude conhecer melhor sobre os estilos musicais, suas origens, influências e expressões, e acabei entrando em contato com uma grande diversidade musical e forte movimentação cultural. Os sound systems me chamaram a atenção, tanto pela forma como reverberavam o som, com fortes graves, quanto pela fina seleção musical, em compactos de vinil. Foi a música jamaicana a grande culpada pelo meu resgate do contato com o vinil, e que me apresentou uma rica produção musical que não vivi, partindo dos anos 1960, além de suas leituras em soul, funk, R&B e jazz. A pesquisa musical aliada ao contato com o vinil certamente foi e ainda é o grande tesouro que garimpei em companhia da música“, conta Ju Mineira.

Para Nat, que frequentou durante a adolescência casas paulistanas tradicionais como Brancaleone e Dolores, o contato com suas duas paixões, rap e música brasuca, veio bem no finzinho da infância. “Comecei a ouvir música brasileira nos vinis da minha mãe, e meu primeiro contato com rap foi com meu irmão Guilherme, quando eu ainda tinha uns 11/12 anos.

Na seleção das duas, vão pra ponta da agulha clássicos absolutos, como MC Cooley, o mestrão J Dilla, MF Doom, Camp Lo, Public Enemy, e outras grandes referências do rap internacional, além de muito material pesadíssimo de produção nacional.

Para conferir um pouco do que rola no Rap Hour, que acontece mensalmente na Casa Brasilis às sextas-feiras, das 19h às 22h, acesse o canal do projeto no Mixcloud:

#2 Mixtape Rap Hour na Casa Brasilis by Raphourvinil on Mixcloud

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.