Jetsons, Mickey e até o Pica-Pau antigos eram melhores, não é? Muito por conta da música… Entenda por quê

#reviews | Quem foi criança nos anos 1980 e 90 muito provavelmente cresceu assistindo a desenhos antigos, como JetsonsPica-Pau ou até Betty Boop na televisão aberta. Além das diferenças em traços e enredo, eles tinham maior integração com a trilha sonora, comparados aos cartoons de hoje.

Episódios como “Mouse in Manhattan”, de Tom & Jerry, e “The Band Concert”, do antigo Mickey Mouse, são alguns dos vários exemplos de como o jazz foi importante para que os cartoons fossem mais atrativos. Inclusive, esse é um dos muitos fatores que justificam a idolatria por parte dos adultos de hoje, mesmo passadas muitas décadas – afinal, alguns desses desenhos foram criados entre os anos 1930 e 60.

Muitos instrumentistas e bandas de jazz contribuíram ativamente para a trilha sonora de episódios considerados antológicos. Nomes como Cab Calloway, Jack Teagarden entre outros foram alguns dos jazzistas mais frequentes nos enredos.

Importante mencionar, também, os compositores que trabalhavam especificamente para as grandes produtoras, como Warner e Disney. É o caso de Carl Stalling e Hoyt Curtin, que deram os primeiros e importantes passos para que a música fosse tão essencial nos desenhos.

Confira o vídeo do canal Na Mira do Groove como funcionava a dinâmica de trilhas dos desenhos antigos e por que o jazz foi tão importante:

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.