Deputado Federal Alexandre Padilha envia ofício à TV Cultura e questiona demissões e fim do Manos e Minas

Post atualizado em 06/07/19 às 17h35, última atualização dia 10/07/19 às 11h00

O Deputado Federal Alexandre Padilha (PT-SP), enviou um ofício no dia 09 de julho para o Presidente da Fundação Padre Anchieta – Centro Paulista de Rádio e TV Educativas (TV Cultura), José Roberto Maluf. Nesse ofício ele questiona o porque das demissões e do fim do programa.

Fazemos apenas uma correção, o Programa Manos e Minas existe desde 2008 e não 1993. O quadro que havia dentro do Programa Metrópolis, se chamava “Mano a Mano” e estreou em 2007 (clique aqui e veja notícia da estreia do quadro). Entendemos o erro do Deputado, pois ele se baseou em notícias de sites que se dizem especializados na Cultura Hip-Hop, mas apenas “copiam e colam” informações, sem consultar nenhuma fonte e muito menos se preocupar com a transmissão correta da notícia. Confira o ofício:

Considerando que não apenas o Estado do São Paulo como nosso País possui uma diversidade cultural de enorme riqueza, sendo o movimento hip-hop, do rap e da música negra e urbana em suas várias vertentes, o retrato e a voz de milhões de jovens
brasileiros.

Considerando, também, que o programa Manos e Minas se tornou ao longo dos anos uma expressão fundamental dessa realidade artística, social e cultural desde 1993, dando voz ao universo do jovem da periferia, bem como resgatando histórias da cultura brasileira e internacional, é que é requeiro desta presidência as seguintes informações:

a) Quais os motivos que levaram a sua presidência a demitir profissionais que
trabalhavam no programa desde a sua criação?
b) Quais os motivos que levaram esta Presidência a determinar o fim do programa Manos e
Minas?

Atenciosamente,
ALEXANDRE PADILHA
Deputado Federal
PT/SP


Abaixo a primeira publicação sobre o caso em 06/07/19
Equipe do ‘Programa Manos e Minas’ é demitida e programa chega ao fim

Circula nas redes um vídeo do produtor Vras77 que informa sobre o fim do programa Manos e Minas, da TV Cultura. Ainda não temos nenhuma declaração ou confirmação oficial da emissora, mas de acordo com pessoas que trabalham no programa, isto realmente aconteceu.

Falamos com uma pessoa da Equipe do Manos e Minas, que pediu para não ter o nome revelado, e colhemos algumas informações.

Mesmo após algumas negociações da equipe do programa com a nova diretoria da TV, a demissão em massa ocorreu, com a alegação de falta de verba. As negociações já aconteciam há 20 dias. A nova diretoria pedia um novo formato para o programa, inclusive com novos quadros e cobrava mais audiência. A equipe do Manos e Minas se reuniu e colocou no papel um novo programa, mas mesmo assim foi surpreendida com a demissão em massa.

Hoje, mais ou menos às 17h00, a atual apresentadora do Programa, Roberta Estrela D’Alva, fez uma postagem em sua página do Face Book. Na postagem ela explica, entre outras coisas, que os contratos de várias pessoas da equipe não foram renovados, inclusive o dela. Também escreveu que não haverá mais gravações do programa esse ano e depois que todos os programas gravados forem ao ar, até 2020 serão exibidas apenas reprises para logo em seguida ser definido o rumo do programa.

O Bocada Forte solidariza-se com todos os envolvidos, pois o programa surgiu para ser um programa de Cultura periférica – tanto que o primeiro artista a participar do programa foi Jorge Aragão. Com o passar dos anos o programa foi reconhecido e identificado como um programa de Hip Hop. A primeira edição ainda teve o jogador de futebol Dentinho, Alessandro Buzo, fazendo uma externa em Pirituba, e Ferréz entrevistando Chico César.

A Equipe do BF esteve lá desde o primeiro dia de gravação, que estreou na TV no dia 7/5/2008, às 19h30, com Rappin Hood como apresentador, DJ Primo nos toca-discos, B.boys, B.Girls e Binho no Graffiti como convidado. Até antes do Manos e Minas existir, já acompanhávamos o que seria um embrião do programa, o quadro “Mano a Mano”, que era apresentado pelo Rappin Hood dentro do programa Metrópolis.

Nos solidarizamos com toda equipe do Manos e Minas e pedimos ao público a mesma solidariedade, assim como foi em agosto de 2010, quando o programa saiu do ar pela primeira vez.

O Bocada Forte já esteve perto do fim por diversas vezes nesses 20 anos. Somos um veículo de comunicação especializado na Cultura Hip-Hop, uma mídia alternativa e independente. Precisamos da valorização dos artistas e do público. Todos podem colaborar para a existência e resistência, por isso sempre pedimos que COMPARTILHEM OS NOSSOS LINKS.

Da mesma forma funciona com programas de TV. Assistam os programas. Valorizem! Precisamos de audiência para existir e resistir. Vemos nas redes sociais o compartilhamento de links de veículos que não tem compromisso nenhum com a Cultura Hip-Hop. Valorize os veículos autênticos e verdadeiramente especializados. Compartilhe os links deles e siga-os nas redes sociais. Valorizem quem realmente faz parte da Cultura Hip-Hop, para que outros espaços não cheguem ao fim!

Equipe Bocada Forte

Confira uma postagem da apresentadora do Programa, Roberta Estrela D’alva, sobre o acontecido:

O post será atualizado ou entraremos com novas publicações assim que tivermos mais informações

2 COMENTÁRIOS

  1. Em Manaus tem a Cultura Hip Hop a muito tempo. E não podemos enfraqueça a Cultura
    Temos que apoia os programa. Brigas de ego
    Existe em todas as camadas e temos que si
    Resguarda contra isso. Temos exemplos de série e programas documentarios dos estado Unido que são espelhos pra nos. Get Down
    E um exemplo forte pra não ter sua continuação vamos usar isso a nosso favor.

    UM GRANDE SALVE A TODOS

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.