Em ‘Beleza do Caos’ , Zamba Rap Clube faz uma reflexão sobre a vida urbana

Afronauta, Cesar Hostil e Vinicius Preto contam suas histórias em meio aos conflitos da cidade

2
192

Depois de muitas escolhas, trocas de experências, ensaios e gravações, o aguardado momento chegou para os integrantes do Zamba Rap Clube. O grupo apresenta seu mais novo álbum, “Beleza do Caos”, trabalho que mergulha nas reflexões sobre a vida em uma metrópole agitada, focando sua beleza e lutas, em meio ao caos, ao mesmo tempo em que exige mudanças essenciais na ordem dominada pelo discurso de mercado, onde fazer crítica social é tido como algo ingênuo ou é capturado e diluído pelo marketing.

O álbum entrelaça política, sonhos, capitalismo e a vida cotidiana. Adotando uma abordagem não convencional para abordar questões críticas, o Zamba Rap Clube cria uma atmosfera de críticas que instigam a reflexão. Uma das faixas, “Antes que Privatizem o Sol”, destaca-se como uma contundente crítica à privatização pelos governos, enfatizando a cobrança por necessidades básicas, naturais e essenciais à vida. Embora possa parecer fantasioso ou futurista cobrar pelo sol, o rapper Afronauta chama a atenção para a realidade desoladora dessas questões por meio de manchetes de notícias.

“Beleza do Caos” não apenas constrói músicas e ideias, mas também pinta um retrato vívido das grandes megalópoles, suas dificuldades e seu fascínio caótico. Por exemplo, a faixa “Flow Dener” vai além da referência a um jogador de futebol rápido, servindo como uma analogia para navegar na vida com astúcia. Outra faixa marcante, “Hora do Rush”, captura a correria desigual na cidade, quando todos buscam seu lugar sob o sol, que ainda é livre, por enquanto.

NA CORRERIA

O objetivo do álbum é oferecer ao público uma visão da vida na cidade, lançando luz sobre suas complexidades e dificuldades, ao mesmo tempo em que entrega uma mensagem de arte e conscientização. Para o Zamba Rap Clube, este projeto, o terceiro em sua ilustre carreira de 13 anos, reforça seu compromisso com o propósito, como destacado por Vinicius Preto.

Conforme o álbum toma conta das ondas sonoras, os fãs aguardam ansiosamente as apresentações do grupo e o impacto que suas letras socialmente conscientes terão na sociedade. “Beleza do Caos” é uma declaração artística que tem o poder de ressoar com o público, provocando reflexão e iniciando conversas sobre as complexidades da existência urbana.

 

“A maturação do EP começou no período em que a banda era um sexteto e, em todos os domingos que não havia show,  fazíamos ensaios muito produtivos. No ano passado, escolhemos e definimos cinco canções que têm ligação entre si. Apesar dos instrumentais não seguirem o mesmo padrão, o discurso faz o ponto de ligação entre as tracks, como curvas ligadas pelo mesmo rio. Cada curva tem um tema, uma ideia, uma música. A correnteza leva o ouvinte a navegar pelo rio chamado Beleza do Caos”, afirma Cesar Hostil.

O terceiro trabalho do Zamba Rap Clube comprova sua evolução, o EP traz letras significativas, e seus integrantes continuam deixando sua marca no underground brasileiro.

O grupo está planejando ações e agendas de shows para divulgar seu mais recente ataque sonoro.

OUÇA:

2 COMENTÁRIOS

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.