Programa de hip-hop reúne artistas mulheres de Moçambique, Brasil, Angola e Bolívia

0
124

O programa de hip-hop Barras Maning Arretadas terá, exclusivamente, atrações de artistas mulheres nesta quarta-feira (9). A programação especial em alusão ao Dia Internacional da Mulher contará com as seguintes atrações: Carina Houston, rapper e única beatmaker mulher de Moçambique; Nina Uma, primeira rapper mulher da Bolívia; Ginga, rapper angolana e Riska, grafiteira brasileira.

O Dia Internacional da Mulher foi nesta terça-feira e a comemoração no programa se dá no dia posterior, porque é tradicionalmente nas quartas-feiras que acontece a atração. O programa inicia às 18h do Brasil (22h de Angola e 23h de Moçambique).

A escolha foi por atrações que representassem quebras de tabu na busca pela igualdade de gênero. Assim, Carina Houston foi convidada devido ao seu pioneirismo na arte de construir instrumentais para músicas de rap no país, assim como a ativista Nina Uma é pioneira no rap boliviano. Ginga é uma artista que luta pela maior visibilidade das mulheres no rap angolano. Já Riska é uma ativista constantemente engajada na visibilidade das mulheres no grafite, tanto lutando para se ter mais artistas mulheres, como também grafitando mulheres em suas obras.

 

Sobre a plataforma

Criada em 2020, a plataforma Barras Maning Arretadas tem como um dos seus objetivos lutar contra a desigualdade de gênero no meio do hip-hop. Como prova disso, lançou no ano passado a cypher Pioneiragem, com artistas pioneiras de quatro países. Desse trabalho participaram Carina Houston e Nina Uma, mas também a primeira rapper brasileira Sharylaine, que está na ativa desde a década de 1980 e ainda Zafa MC, única rapper mulher de São Tomé e Príncipe a gravar uma música desse gênero musical. A música foi segundo lugar no ranking mensal do programa norte-americano Planet Earth, Planet Rap, com retransmissão em 138 países e liderado por Chuck D, do Public Enemy.

O Barras Maning Arretadas ainda apresentou pioneirismo ao realizar um debate com rappers mulheres que criaram projetos coletivos, envolvendo o maior número de mulheres possível em seus respectivos países, como forma de lutarem coletivamente contra a desigualdade de gênero. No debate realizado em agosto de 2020, participaram Shiva (Portugal), Guiggaz (Moçambique), Flavinha (Cabo Verde), MAMY (Angola) e Sharylaine (Brasil).

Além disso, o Barras Maning Arretadas tem quatro músicas lançadas até o momento, havendo destaque para artistas mulheres, bem como há várias rappers entre as destaques nos programas semanais, toda quarta-feira.

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.