Segunda SOUL #3: pare tudo e ouça a voz marcante de Alice Clark

0
101

Lançado originalmente em 1972 pela Mainstream Records, o álbum homônimo da cantora Alice Clark, produzido pelo mestre Bob Shad em parceria com o arranjador Ernie Wilkins, foi disponibilizado neste mês no site Bandcamp, a casa da música alternativa. O disco conta com um respeitado time de músicos, com destaque para o baterista Bernard Purdie e o guitarrista Cornell Dupree.

A voz singular de Clark trafega tranquilamente nos instrumentais da soul music- cheios de referências de jazz- para cantar a dor, saudade, amor, certo desespero e esperança. Como a coluna do BF resgata, sampleia e recorta a passagem do tempo, preferimos a esperança, sempre a esperança.

Em tempos de correria, a música continua fazendo parte da vida. Mas a música também é a vida que se descarta em posts rápidos, releases copiados, likes e plays comprados, sucesso disfarçado, popularidade inflada nas redes sociais, entre outros fatores que vão contra a origem do nome desta coluna.

Como Alice Clark, Segunda Soul é a alma que canta e pede atenção, mas também aprendeu que é melhor falar sozinha em certos momentos.

Infelizmente, a cantora não conseguiu destaque na indústria da música. Seus discos não foram sucessos comerciais. Alice Clark começou sua carreira em 1968 e terminou em 1972. Gravou quinze músicas durante três sessões de gravação, incluindo dois singles e seu álbum de 1972.

OUTROS TRÊS
É pra dançar! Curtas os sons a moderna mistura acústica e pesadona de Meissa Jones, passando pelo flerte do Rap com o neosoul de Cielo e chegando aos beats de Sleepin Giant.

“SHE BE”, NO LOVELY THING (featuring MELISSA JONES)

“IT WAS ALL A DREA”, CIELO

“IT’S TIME”, SLEEPIN GIANT

Nascida na década de 1940, no Brooklyn, Clark morreu em 2004, vítima de câncer, aos 57 anos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.