Novos Samples #6: Em novo disco, Mike mostra o antídoto contra a mesmice

“TEARS OF JOY’, MIKE

A coluna Novos Samples está de volta e registra suas impressões sobre o mais recente disco do rapper e produtor nova-iorquino MIKE. Numa cena dominada pelos clones do trap e o mimetismo do modo de viver dos artistas do mainstream, “Tears of Joy” apresenta uma produção ousada, cheia de cortes que relembram os mestres do underground.

As músicas de Mike são uma mistura de MF Doom, J Dilla e Aphex Twin, numa estética familiar e que soa ao mesmo tempo estranha. Bases estonteantes, e intervenções caóticas são o chão que o rapper escolheu para pisar, caminhar e rimar a ansiedade, a depressão e a perda de sua mãe. Mas não tem jeito, precisamos repetir: a produção é o destaque.

“Tears of Joy” é um antídoto contra o “bundamolismo” dos rappers que copiavam…e copiam. Ahhh! Conheça os outros discos, eps e singles do Mike.

OUTROS TRÊS

1. “Da Ana2omy”, RAH-O (Rahsaun Ortiz), MC de Baltimore
Nascido em Lake Charles, Lousiana, filho de pai porto-riquenho e mãe negra, RAH-O (R.ap A.nd H.ip-Hop O.verall) traz um disco com produção impecável, beats boom bap e flow cativante, que trafega entre agressividade e serenidade. O destaque vai para a faixaMessiah-Lude (Hampton’s Hymn)”

2. “Teyf”, Ruthless Brutas The Front Tooth Remover
Esse cara traz batidas secas, mas cheias de suingue para liberar suas rimas no estilo da velha escola. Seu nome é gigante: Ruthless Brutas The Front Tooth Remover. Ele é DJ, produtor e MC de Barnsley, no Reino Unido.

Siga o BF no Insta – @bocadafortebf


3. “Can’t Go Back”, Kojey Radical

Esta foi indicação do Gil, editor do BF. Kojey Radical, rapper inglês filho de ganenses. Grime e rap alternativo são as bases para suas rimas afrocêntricas.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.