Memória BF l Hoje Guru do Gang Starr completaria 58 anos

0
233

Em 17 de julho de 1961, nascia em Boston (EUA), o rapper Guru. Em 19 de abril de 2019, publicamos uma matéria sobre ele, pois foi a data em que ele faleceu, em 2010. Relembre a matéria que fala um pouco sobre sua vida e importância.

Em 19 de abril de 2010 Guru terminava sua passagem por aqui

Guru em 14/12/05, no CIE Music Hall, em São Paulo. Foto: Paola Vianna

O dia 19 de abril de 2010 foi um dos mais tristes, não apenas para o Hip-Hop, mas para a música mundial. Neste dia Keith Elam nos deixava, ou melhor, Guru (Gang Starr e Jazzmatazz). São quase 10 anos sem seu o seu talento, criatividade e a facilidade de realizar parcerias que até hoje nenhum outro conseguiu igualar, em quantidade e em qualidade.

No Rap todos o conhecem como o grande parceiro do DJ Premier no grupo Gang Starr. Das parcerias que envolvem um DJ e um MC, sem dúvida nenhuma essa está entre as parcerias de maior sucesso. Guru não era apenas MC e compositor, também assinava a produção de muitas músicas.

Gifted Unlimited Rhymes Universal (G.U.R.U). Assim ele se apresentava em algumas rimas e também na introdução do seu histórico e inovador projeto de Jazz/Rap, o “Jazzmatazz“, que contou com quatro álbuns lançados. Como ele disse na Revista Britânica Blues & Soul de maio de 2009, um dos motivos para ter criado este projeto, foi que ele estava vendo que existiam muitos DJs e produtores pesquisando disco de Jazz para samplear. Ele pensou que poderia juntar os músicos responsáveis por esses discos, colocar em estúdio e misturar as duas coisas, sem precisar samplear. Deu certo!

Com DJ Premier, Guru criou a Gang Starr Foundation e com ela acrescentaram e colocaram em evidência nomes que para sempre serão lembrados, como Group Home e Jeru The Damaja. Também popularizaram os nomes de Big Shug, Freddie Foxxx (Bumpy Knuckles), M.O.P, entre muitos outros.

Quando Guru veio a falecer, aos 48 anos, por conta de um câncer, ele e DJ Premier não estavam mais juntos desde 2003. Mesmo após a sua partida, uma carta polêmica, divulgada por Solar, parceiro de Guru nos seus últimos anos de vida, causou estranheza para amigos e família.

Capa do livro lançado por Solar

A maioria sequer acredita que a carta tenha sido escrita por ele, pois estava em coma. Mas Solar disse que ele despertou do coma e a fez (leia abaixo a carta na íntegra). Ele diz na carta, entre outras coisas, que não queria nenhum envolvimento do DJ Premier em nenhuma homenagem ou qualquer outro projeto após sua morte.

Ainda em 2010, cerca de um mês após a morte, um hacker conseguiu invadir os emails de Solar e publicou, “no estilo Wikleaks”, diversos e-mails comprometedores. Uma matéria com cópias dos e-mails foi publicada e está no The Village Voice.

Em julho de 2018, Solar lançou um livro que tem o título de uma das músicas mais famosas do Gang Starr: “Moment of Truth”. O livro fala da vida e da morte deste que foi um dos maiores nomes da história do Rap.

Guru esteve no Brasil pela primeira vez em outubro de 1994, na 9ª Edição do Free Jazz Festival, apresentando o projeto Jazzmatazz. Junto com ele veio Donald Byrd. Desta mesma edição do Festival participaram The Roots com Etta James, Digable Planets, James Brown, B.B King, US3, Al Jarreau e Djavan. Estes são só alguns nomes para que os mais novos possam sentir o peso do evento.

Em 14 de dezembro de 2005 tive o prazer de presenciar a segunda passagem dele por aqui. As fotos tiradas pela fotógrafa Paola Vianna estão em nosso acervo. Ele se apresentou com a dupla Veiga & Salazar e DJ Keffing (Banda Rabo de Macaco).

Assista abaixo um trecho do show

Leia algumas declarações de Guru para o caderno Folhateen, da Folha de S. Paulo, em 31 de outubro de 1994:

“Estou numa missão para elevar a consciência do meu povo. A família negra americana foi sistematicamente dividida. Quando eu era criança, em Boston, se a minha vizinha me pegasse matando aula, ia falar com a minha mãe. Hoje, nenhum vizinho fala com o outro, por causa do medo das armas e do crack. Mas não fomos nós que colocamos crack, armas e lojas de bebidas em nossas ruas.”

“(…) acho que todo artista é um exemplo de comportamento. Mesmo os que dizem que não querem ser, acabam sendo imitados por adolescentes. É muita responsabilidade, para você agir de maneira errada.”

Algumas parcerias durante a sua carreira incluem o já citado Donald Byrd, Angie Stone, N’Dea Davenport, MC Solaar, Roy Ayers, Chaka Khan, Ramsey Lewis, Les Nubians, Branford Marsalis, Jamiroquai, Lonnie Liston Smith, Branford Marshall, Ronny Jordan, Freddie Hubbard, Kool Keith, Erykah Badu, Jay Dee, Neptunes, The Roots, Dilated Peoples, Slum Village, Damian Marley e mais uma infinidade de nomes, dos citados a maioria são do Jazz.

Íntegra da carta supostamente escrita por Guru

“Eu, Guru, estou escrevendo esta carta aos meus fãs, amigos e pessoas que amo. Eu tive uma longa batalha contra o câncer e sofro com essa doença há mais de um ano. Todas as opções médicas já se esgotaram.

Eu tenho uma organização sem fins lucrativos, chamada Each One Count, que ajuda crianças que sofreram abusos e desfavorecidas de todo mundo, além de apoiar pesquisas para encontrar a cura dessa terrível doença que levou minha vida. Escrevo isso com lágrimas nos olhos, não de tristeza, mas de alegria pela vida maravilhosa que tive e por todas as pessoas incríveis que eu tive o prazer de conhecer.

Meu fiel melhor amigo, parceiro e irmão, Solar, esteve do meu lado durante todo o processo. Ele esteve comigo em todas as vezes que fiquei no hospital, nas operações, visitas médicas e em casa, além de cuidar de coisas que eu não podia cuidar sozinho. Solar e sua família são a minha família e eu os amo muito, e espero que minha família, amigos e fãs respeitem isso, sem negligenciar os sentimentos de ninguém sobre o assunto. É o meu desejo que conta. Dito isto, quero que meu filho KC seja cuidado por Solar e sua família como se fosse deles. Qualquer prêmio ou tributos devem ser aceitos, organizados e aprovados por Solar em meu nome e do meu filho até ele se tornar maior de idade.

Não quero que meu ex-parceiro DJ [Premier] tenha algo a ver com meu nome em eventos, tributos, e etc., e meus advogados já estão cientes disso. Eu não tenho nada a ver com ele há sete anos e não quero nada dele relacionado ao meu nome durante a morte. Solar sabe sobre minha história de vida e minha situação familiar, bem como a verdadeira razão da minha separação com DJ.

Como o único fundador do Gang Starr, sou muito orgulhoso pelo que o grupo significou para a música e para os fãs. Estou igualmente orgulhoso pela influência do meu projeto Jazzmatazz e de ter sido um dos pais do Hip-Hop/Jazz. Estou ainda mais orgulhoso pela minha liderança e pioneirismo em revigorar o gênero Hip-Hop/Jazz, com o Jazzmatazz, em um momento em que a qualidade da música decaiu.

Eu e Solar fizemos turnês em lugares que nunca estive antes com Gang Starr ou Jazzmataz, e nós ganhamos a reputação de sermos os melhores e mais influentes no gênero até hoje. O trabalho que fiz com Solar representa um legado muito além de seu tempo. E nós, como um time, não tivemos medo de dar o pontapé inicial. Para mim, isso é o que artistas de verdade fazem! Como homens de honra nós estivemos acima da mentalidade pequena, ganância e ignorância. Sempre estarei feliz e orgulhoso por nós termos lutado pela música sem ganhar milhões. E gostaria de agradecer os milhares de fãs que viram a gente se apresentar durante esses anos em vários lugares do mundo.

Espero que a nossa música receba a atenção que merece, pois são alguns dos melhores trabalhos que eu fiz e representa alguns dos melhores anos da minha vida.”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.