Outras Cenas | Toninho Crespo lança o álbum ‘Samba Soul’

Capa do álbum

Ocompositor Toninho Crespo completa 34 anos de carreira em 2019 e no dia 14 de agosto lançou seu mais novo e mais esperado projeto, ‘Samba Soul’.

Na sua trajetória já passeou por diversos ritmos da música negra, o Rap, o samba, o reggae, o soul, o funk, etc. No reggae ele foi um dos pioneiros no Brasil, com a banda Jualê. Já se apresentou em mais de 20 países, fez uma Jam com The Wailers, em São Paulo, trabalhou com o guitarreiro Luis Vagner e também com Racionais.

Sempre ao lado de grandes nomes da música mundial, Toninho lançou em 2016 o álbum Bossa Loca. A obra foi toda gravada em Havana (Cuba), no bairro Alamar – considerado a casa do Hip Hop cubano.

Seu novo trabalho tem 8 faixas. Ele produziu todas elas e ainda tocou guitarra, violão e cavaquinho. A capa traz uma foto sua ainda jovem, há 40 anos atrás, fazendo jus ao seu apelido e ostentando o seu crespo, o popular “black power”. Sobre as músicas que curtia nos bailes Toninho diz: “Foi curtindo Soul que conheci Malcolm X, Panteras Negras, Angela Davis, Martin Luther King Jr. e outros.” Sobre a mistura que dá título ao disco, o samba e o soul, ele explica: “É a minha especialidade, que aprendi com os Mestres Miguel de Deus e Luis Vagner.”

Na faixa “Tempo difícil de esquecer” ele relembra os tempos dos bailes, as festas, as músicas, os amores e o orgulho de ser negro, é a faixa menos dançante do álbum. Já as outras é pro pessoal “quebrar o bracinho”. Ele mesmo revela o objetivo da sua música: “Eu faço disco para o povo dançar, faço tudo com sonoridade simples, popular mesmo. Nesse disco eu dei uma caprichada com coral e naipe de trombones.” A faixa de abertura, que dá título ao álbum, deixa isso bem claro na letra e no ritmo.

[+] Siga o artista no Instagram e também no Facebook

Ouça o disco

1 COMENTÁRIO

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.