Memória BF | ‘The Miseducation of Lauryn Hill’ completa 21 anos

0
124
Capa do álbum

Em 25 de agosto de 1998 era lançado oficialmente o primeiro e único álbum de estúdio da Diva Lauryn Hill, ‘The Miseducation of Lauryn Hill’. O sucesso com o Fugees fez com que Lauryn se tornasse umas das vozes femininas mais importantes do Rap, ela virou referência musical para muitas mulheres.

Ainda em meio ao sucesso do seu ex-grupo, ela se envolveu com Rohan Marley, acabou tendo um filho e essa experiência, somada as brigas entre os integrantes do Fugees, a influenciaram a trabalhar em um disco solo.

‘The Miseducation’ é uma obra prima, com 14 faixas e poucas participações – Mary J. Blige, D’Angelo, Carlos Santana, DJ Supreme e John Legend (esse último desconhecido até aquele momento). O título do álbum é uma mistura de palavras que dão o significado de “educação pela música de Lauryn Hill”. Ela se inspirou no filme ‘The Education of Sonny Carson’, que foi baseado na autobiografia do ativista negro Sonny Carson e também no livro ‘The Mis-Education of the Negro’ do Dr. Carter G. Woodson – o filme é de 1974 e o livro de 1933.

Assista a performance ao vivo da música “Ex-factor”

Com esse trabalho solo Lauryn foi sucesso absoluto no mundo todo, foi disco de platina em diversos países e cravou de vez seu nome entre as mulheres mais importantes e influentes da música mundial. Três singles foram lançados e ajudaram muito para esse sucesso do álbum: “Doo wop (That thing)”, “Ex-Factor”, “Everything is everything”. Na 41ª edição do Grammy, em 1999, ela foi a primeira mulher a ser indicada em dez categorias, ganhou cinco: Álbum do Ano, Melhor Artista Novo, Melhor Performance Vocal Feminina de R&B com “Doo wop (That thing)”, Melhor Música R&B com “Doo wop” (também foi indicada com a música “A Rose Is Still a Rose”, interpretada por Aretha Franklin) e Melhor Álbum R&B.

Assista ao vídeo de “Doo wop” legendado

Claro que a fama não trouxe apenas coisas boas, todos sabem que a carreira da cantora foi repleta de polêmicas e problemas pessoais e profissionais que se misturaram. Um deles foi antes de todos esses prêmios, em 1998, a banda New Ark, que participou ativamente no disco, entrou com um processo contra Lauryn alegando não terem recebido os créditos devidos por sua participação no disco. Entre idas e vindas o problema só foi resolvido no início de 2001 e fora dos tribunais, Lauryn pagou a banda cinco milhões de dólares.

LEIA TAMBÉM  Álbum debut de Notorious B.I.G, 'Ready To Die' completa 25 anos

Assista ao vídeo de “Everything is everything”

Mas independente de qualquer coisa, Lauryn conseguiu enfrentar tudo e ainda é reconhecida como uma das vozes femininas mais importantes do Rap e do R&B. Começou em 2018 uma turnê de 20 de anos do disco, que passou pelo Brasil em maio de 2019 e continua viajando o mundo. Se colocar na balança os prós e os contras, o resultado ainda é positivo – entre tantos prêmios, o reconhecimento mundial, a compreensão dos fãs e cerca de 20 milhões de cópias vendidas.

Relembre essa obra prima

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.