Memória BF | Roxanne Shanté, 27 anos do seu segundo álbum

0
56
Capa do álbum

Intitulado ‘The Bitch Is Back‘, o segundo disco da MC Roxanne Shanté é também o último. Pesquisando sobre a data oficial de lançamento, existem divergências entre os dias 5 e 6 de outubro de 1992.

A carreira de Shanté no Rap foi curta, mas impactante e ela sempre será lembrada como a primeira mulher a ter um grande sucesso no Rap. Ela não foi apenas uma MC de estúdio, participava de batalhas e batia de frente com qualquer MC.

Boa parte da sua história pode ser vista no filme ‘Roxanne Roxanne’. O disco tem apenas 10 faixas e nas produções só nomes de peso, Kool G Rap, Mister Cee, Large Professor, Trackmasters e Grand Master Flash são os principais.

Todas as mulheres do mundo que fazem Rap ou são MCs de batalha deveriam reverenciar Roxanne, pois não deve ter sido nada fácil conviver com o machismo dos anos 80. Em meio a Run DMC, Rakim, Public Enemy, Beastie Boys, LL Cool J, Biz Markie, Big Daddy Kane e tantos outros – todos homens -, ela estava ali enfrentando todos de igual pra igual e sendo a única mulher da cena em evidência. Mesmo tendo aberto os caminhos para Queen Latifah, MC Lyte, Monie Love e tantas outras, pelo fato de durante muito tempo ter sido a única mulher em evidência. Neste disco ela fez uma música chamada “Big Mama”, onde ela dispara contra todas elas, da mesma forma que fez com o U.T.F.O, em “Roxanne’s Revenge”. Uma vez MC de batalha, sempre MC de batalha, seja na rua ou no estúdio.

Assista ao vídeo de “Dance To This” com part. de Biz Markie e Grand Daddy I.U.

O disco não é um grande clássico, mas é importante como registro histórico da presença e da força feminina dentro do Rap e também da primeira grande treta entre as mulheres no Rap. Não que isso sirva de exemplo, claro que não, mas é a história e mostra o quanto Shanté era controversa. Só pra constar, pelo menos quatro das artistas atacadas por ela na letra de “Big mama”, deram suas respostas: Queen Latifah, em “I can’t understand”, MC Lyte, em “Steady fucking”, Yo-Yo, em “You better ask” somebody” e Salt-N-Pepa, em “Somebody’s getting on my nerves”.

Embora todas elas tenham feito mais sucesso, Roxanne rimava muito mais que todas juntas e o fato de ter se mantido em evidência em meio a tantos grandes nomes dos anos 80, é uma prova da sua qualidade e talento. Ouça a mixtape abaixo, o disco e confira o quanto essa mulher rimava.

P.S.: Também tivemos a MC Sha-Roc, antes dela, que inclusive inspirou grandes MCs homens, mas devido as batalhas e polêmicas, Roxanne conseguiu mais destaque. A MC Debbie D também representou as mulheres nos anos 80 e era parceira de Roxanne na Juice Crew.

‘Roxanne Roxanne: A Roxanne Shante Mixtape’ do DJ Psykhomantus

Ouça o disco

PUBLICIDADE – CONHEÇA A LOJA CENTRAL GIRLS

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.