Memória BF | ‘Buhloone Mindstate’, do De La Soul, completa 26 anos

0
84

O disco “Buhloone Mindstate” é o terceiro do trio formado por Posdnuos, Trugoy e Maseo, o mundialmente famoso De La Soul. Lançado em 21 de setembro de 1993, foi o último disco deles com produção do Prince Paul, que era como se fosse um dos integrantes, inclusive nesse disco ele tem até espaço para deixar seus agradecimentos. São 15 faixas e algumas participações, que acrescentaram muito para que algumas músicas se tornassem clássicos. Por exemplo, Dres do Black Sheep na música “Enfocus” e Guru do Gang Starr na “Patti dooke”, no disco as duas estão em sequência, são respectivamente a terceira e a quarta faixa.

Assim como nos discos anteriores, eles usaram e abusaram do uso de samples, beberam muito nas fontes do Funk, Soul e Jazz. Mas essas influências não pararam por aí, três grandes nomes participaram e tocaram em diversas faixas. São eles: Maceo Parker, Fred Wesley e Pee Wee Ellis, todos músicos lendários que trabalharam, entre outros, com James Brown.

Contracapa do vinil

Este disco é todo diferente. A foto da capa é toda distorcida como um reflexo na água em movimento e o título do disco está na parte de baixo a direita, meio apagado até passando desapercebido*. Na contra capa, os nomes das músicas são escritos com as letras se alternando entre maiúsculas e minúsculas, sem muita lógica. A ilustração que eles colocaram atrás, mostra apenas a cabeça dos três com um nó nas bocas, entre os agradecimentos, as faixas e a ficha técnica. Este álbum em especial é um pouco diferente da imagem de “paz e amor” atribuída a eles, em alguns momentos parece que estão com raiva e em outros tristes e reflexivos.

Na época em que o disco foi lançado eles não estavam muito bem com a gravadora, e em muitas músicas eles deixaram isso bem claro, não pouparam palavras para cutucar a tal da “indústria e o mercado da música”. Um outro problema era a relação com a crew deles, a Native Tongues, que tinha como grupos principais Jungle Brothers e A Tribe Called Quest, eles estavam se desentendendo. Outro fato que os preocupava era a ascensão do gangsta rap, que trazia nas letras uma mensagem totalmente contrária ao que eles transmitiam.

Assista ao vídeo do primeiro single

Tudo isso influenciou muito na alma do disco, mas para mim não foi nada ruim. O álbum é ótimo. Parece que essas situações colaboraram para que eles mostrassem o seu outro lado. Eles ainda conseguiram abrir espaço para uma jovem revelação do Rap feminino: a MC Shortie No Mass, que fez as dobras em algumas músicas e rimou na “In the Woods”. Na última música, a “Stone age”, Biz Markie rimou e fez beat box.

PUBLICIDADE

Foram apenas dois singles lançados, ambos com vídeos e um deles se tornou um dos maiores clássicos do grupo, a faixa “Eggo trippin’ (Part two)”. Essa foi uma homenagem ao Ultramagnetic MCs, que em 1986 tinham lançado uma música com o mesmo título (Clique aqui e ouça). O outro single foi da música “Breakadawn”, onde eles falam sobre a trajetória, o que viveram, o que passaram e o que tiveram que abrir mão até chegar ao sucesso.

*Todas as impressões sobre as fotos da capa e contracapa são baseadas no vinil do acervo pessoal, talvez no CD a impressão seja diferente.

Assista ao vídeo de um de seus maiores clássicos

De La Soul é um dos grupos mais importantes da música Rap e também muito importante para a Cultura Hip-Hop. Relembre esse disco e quem não conhece, escute que vale a pena reservar no máximo uns 50 minutinhos do seu dia pra conhecer esse clássico.

Escute o disco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.