‘Jazzmatazz Volume 1’ completa 26 anos

0
183

#MemóriaBF
Artista
– Guru
Álbum – JazzMatazz Volume 01
Gravadora – Chrysalis / EMI

Antes de qualquer comentário sobre esse disco: obrigado Guru! Hoje costumamos ver surgir a cada semana um novo fenômeno do Rap. Nas redes sociais qualquer oportunidade é aproveitada para usar a expressão “zerar o game”, mas esse tal “game” já foi zerado faz tempo. Nenhum novo rapper conseguiu superar em criatividade, qualidade musical e inovação o que foi produzido no Rap dos anos 80 e 90. Em quantidade sim. O assunto não são cifras e nem música pra ver, estou falando de música na sua essência, música pra ouvir e sentir.

Capa do álbum. Foto: Reprodução/Google

Sendo assim, vamos ao que interessa. Em 18 de maio de 1993 foi lançado “Jazzmatazz Volume 1“, o primeiro de uma série de álbuns que foram produzidos e idealizados por Guru, do Gang Starr. Aqui neste caso a expressão “zerar o game” pode ser usada à vontade – o cara formou com DJ Premier uma das maiores duplas de Rap da história e em meio a construção de clássicos eternos, ele ainda teve “munição” para juntar os músicos mais notáveis do Jazz e colocar em prática uma ideia inovadora.

O Jazz e o Rap já flertavam desde as festas no Bronx nos anos 70, passando pelos samples em músicas do anos 80 e começo dos 90, mas apenas o Rap sabia dessa relação de amor. Em 1992, a lenda do trompete, Miles Davis, já passeava pelo estilo com seu álbum “Doo-Bop“.

Foi então que Guru pensou, que ao invés de usar apenas trechos de Jazz e jogar uma batida em cima, ele podia trazer os músicos sampleados para dentro do estúdio, junto com eles escrever suas rimas e transformar o flerte em casamento de uma vez por todas.

O disco traz já na sua capa uma outra característica interessante, está escrito “uma fusão experimental de Hip-Hop e Jazz”. Tenho milhares de discos e esse é o único que traz esse, vamos dizer assim, aviso. Vale lembrar que ele não foi o primeiro a fazer essa fusão, outros já haviam feito, mas não da mesma forma, só para citar alguns – Stetsasonic, A Tribe Called Quest, Pete Rock & C.L. Smooth, Showbiz & A.G., The Pharcyde, LL Cool J, Public Enemy, o próprio Gang Starr, a gravadora Blue Note com a Blue Break Beats lançando compilações, Quincy Jones unindo a costa leste e oeste em “Back on the Block” e muitos outros.

Ouça o disco In Full Gear do Stetsasonic, considerado referência na fusão Rap/Jazz

Mas no mesmo ano em que o “Jazzmatazz” foi lançado e também nos anos seguintes, houve um boom da utilização de Jazz nos samples, isso pode ser visto nos discos de Digable Planets, De La Soul, The Roots, o inglês US3 e até mesmo no “Illmatic” do Nas, onde os produtores foram Large Professor, Pete Rock, Premier e Q-Tip, que vinham usando muitos samples de Jazz antes de trabalharem naquele que é considerado o disco que – olha a expressão aqui de novo – “zerou o game”. O boom dessa fusão também respingou no Brasil, acontecia por aqui anualmente o Free Jazz Festival e a maioria desses nomes vieram para cá se apresentar, em 1994 na 9ª edição, inclusive o Guru.

Guru. Foto: Reprodução/Google

Toda arte do disco remete a discos de Jazz, são 12 faixas, 6 de cada lado do vinil. A disposição das músicas foi feita assim, uma introdução, 5 músicas, um interlúdio de agradecimento tipo uma pausa e ai mais 5 músicas. Tem muitas participações, mas as mais importantes são: Roy Ayers, Donald Byrd, N’Dea Davenport, Ronny Jordan, MC Sollaar, Lonnie Liston Smith, Brandford Marsalis, Courtney Pine, Carleen Anderson, Lil Dap, Big Shug e DJ Jazzy Nice. O vinil não tem um encarte, mas traz todas as informações na contracapa e de uma forma muito legal. Tem uma introdução do jornalista e crítico de Rap Bill Adler, que foi diretor de publicidade da Def Jam por muitos anos. Traz também, além dos agradecimentos e a ficha técnica, um pequeno release sobre cada uma das principais participações.

Quem diria que uma fusão experimental resultaria em um clássico. Em 14 de Dezembro de 2005, tive o prazer de ver e ouvir ao vivo algumas das músicas desse e dos outros discos da série, quando Guru se apresentou no antigo Palace em São Paulo. Gravei o áudio do show. A qualidade não é tão boa, mas vamos tentar melhorar e disponibilizar no site.

Tem uma música que não é desse disco, é do Gang Starr, mas vale a pena conferir também, “Jazz Thing” com Brandford Marsalis, trilha do filme do Spike Lee, “Mo’Better Blues” (“Mais e Melhores Blues”).

Abaixo você confere alguns videoclipes e o álbum completo!

Ouça o álbum “Jazzmatazz Volume 1” na íntegra:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.