Feminista, atriz, DJ e ativista, MC Lyte completa 49 anos

Capas dos discos de MC Lyte

Em 11 de outubro de 1970, nascia Lana Michelle Moorer, a MC Lyte. Uma das mulheres mais representativas do Rap mundial, desbravadora, a primeira a lançar um álbum completo. Não é apenas MC ou rapper. É ativista, palestrante, atriz, empresária e DJ também, em alguns momentos especiais. Ela lançou seu primeiro single em 1986: a música I cram to understand u”. Ela tinha apenas 16 anos. Em 1988 ela lançou o seu primeiro álbum, o ‘Lyte as a Rock‘.

Nenhuma outra mulher tinha levantado a bandeira feminista da maneira que ela fez. Mandou um dedo médio pros machos e se impôs. Foi a primeira MC a ser indicada ao Grammy e também a primeira a chegar ao disco de ouro.

Sua primeira indicação ao Grammy de Melhor Performance Solo de Rap foi na premiação de 1994, com a clássica Ruffneck (1993). Exatamente 10 anos depois, em 2004, foi indicada a Melhor Performance de Rap Feminino, com a música “Ride wit me” (2003). Na primeira perdeu para “Let me ride”, do Dr. Dre e depois para “Work it”, de Missy Elliott.

Não há dúvidas de que ela foi, não “uma das”, mas a MC mais importante da Golden Era. A verdadeira “chefona”. Nos primeiros 10 anos de carreira, lançou seis discos. No total foram 12 álbuns e todos muito bem recebidos.

Além da sua carreira musical ela tem seus negócios como empresária, dá palestras em universidades, fez e continua fazendo aparições no cinema e na TV. Foi a fundadora da Hip Hop Sisters Foundation e, como DJ, uma de suas performances mais marcantes foi na festa de 50 anos do ex-jogador de basquete Michael Jordan.

É importante que não apenas as mulheres, mas que todxs saibam mais sobre personalidades como MC Lyte. Ela é referência e influência positiva para qualquer pessoa, mas principalmente para as mulheres de qualquer época.

Assista ao vídeo de Ruffneck

Lyte nasceu no Brooklyn. Já falei diversas vezes que a água deste bairro deve ser diferente. Com 12 anos ela já estava rimando. Seus parceiros, desde muito nova, eram a dupla Milk Dee e DJ Giz, do Audio Two. O pai deles criou um selo, chamado First Priority, para lançar os trabalhos dos filhos. Pouco tempo depois ele conseguiu uma parceira com a Atlantic Records, mas fechou o contrato com uma condição: MC Lyte tinha que ser contratada pela gravadora. A sua primeira música, citada acima, mesmo hoje seria revolucionária. Ela escreveu a música com 12 anos e falava sobre o destruição causada pelo crack.

Assista ao vídeo do single Cha cha cha, que ficou 18 semanas em 1º lugar

Já no primeiro álbum, com apenas 18 anos, ela deixou bem clara a sua posição e não mostrou nenhuma fragilidade. Duas músicas são destaques nesse sentido, “I am woman” e “Don’t cry big girls“. No mesmo disco ela também deixou uma faixa chamando pra treta, pra batalha, “10% Dis“. O título do álbum é outra pancada: ‘Lyte como uma rocha’. Mesmo sendo uma das primeiras e mais jovens MCs, o seu destaque não foi só pela idade ou apenas por ser mulher, mas sim pelo talento, a qualidade das rimas, o flow e a postura.

Seus álbuns são:
Lyte as a Rock (1988)
Eyes on This (1989)
Act Like You Know (1991)
Ain’t No Other (1993)
Bad As I Wanna B (1996)
Seven & Seven (1998)
Da Undaground Heat, Vol. 1 (2003)
Legend (2015)

Ouça seu primeiro álbum

PUBLICIDADE – CONHEÇA A LOJA CENTRAL GIRLS

1 COMENTÁRIO

Interaja conosco, deixe seu comentário, crítica ou opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.