Em ‘Requebrada’, Fino e Ourechá apresentam suas crônicas suburbanas

Do nome do álbum aos versos de Fino, as referências à MPB marcam presença no groove criado pela Ouroechá

0
79

O contador de histórias urbanas das bordas da zona sul de São Paulo, Fino Du Rap, está de volta com um novo disco que traz a energia orgânica e acústica do trio Ouroechá.

Fino ultrapassa as catracas das estações de trem e dos busões que transportam o povo da periferia para apresentar a poesia de “Requebrada”, disco que traz reggae, jazz, funk e a rima inconfundível do rapper que encarna a vida que emana dos bairros, dos palcos, das esquinas, dos saraus.

A capa do álbum ‘Requebrada’. Foto: Reprodução/Facebook

Misto de muitos pedaços meus, da Ouroechá e de todas as pessoas que deixaram um pouco do seu amor, da sua energia musical, do seu acreditar em nosso sonho e fazer parte dele lindamente. (…) Esse disco acaba de nascer e tem muito pra caminhar. Que ele caminhe bastante, assim como já caminhei nessa caminhada de Rap, de vida e na caminhada dos meus irmãos de música, Franja, Sandro e Will“, fala o artista sobre o trampo em sua fanpage no Facebook.

Do nome do álbum aos versos de Fino, as referências à MPB marcam presença no groove criado pela Ouroechá.

“O ponto de partida do Requebrada é a referência direta às obras de Gilberto Gil ‘Refazenda’, ‘Refavela’, ‘Refestança’ (em parceria com Rita Lee) e ‘Realce’, onde o compositor elucida e evidencia os universos particulares de cada situação proposta, homenageando e repensando as possibilidades do que cada universo destes pôde lhe propiciar”, diz Fino.

A aposta é corajosa, pois a cena rap atual é dominada pelos timbres e temas do trap feito por artistas que têm na idade o tempo de carreira de Fino no Hip-Hop.

Siga o BF no Twitter – www.twitter.com/bocadaforte

De um tempo e um lugar tão longe

São 20 anos de correria que desembocam no conteúdo político de “Requebrada”. “Não dá pra viver sem estudar sua história”, diz o rapper na faixa “Pelos cantos”, que faz um paralelo entre o crescimento das quebradas e das individualidades e vivências coletivas em diferentes comunidades, mesmo falando de seu lado da ponte.

As 12 faixas de “Requebrada” mostram um trabalho revigorante, com protesto, pertencimento e identidade. O disco tem participações de Izzy Gordon, As Clarianas, Laylah.

Fino e Ourechá falam de São Paulo e de um povo que vive no pior e com o pior que a cidade oferece, fatos que são replicados pelo Brasil.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.