Feiticeira Escarlate, Kanye West e como manter sua saúde mental no rap

0
396

#Rap #Carreira | Cada vez mais rappers (e músicos no geral) não tem conseguido lidar com as pressões da vida pessoal e profissional e, em algum momento, acabam cedendo à depressão, ansiedade, consumo de drogas sintéticas pesadas e, no pior dos casos, apresentando até crises de personalidade.

A heroína Feiticeira Escarlate e o rapper Kanye West são exemplos úteis para pensarmos o que não deu certo e como podemos nos esforçar para termos uma vida mais saudável e feliz.

A Feiticeira Escarlate, que apenas em “Vingadores: A Era de Ultron” chegou às telas, é uma das personagens mais antigas da Marvel, tendo aparecido nos quadrinhos pela primeira vez em 1964. [ALERTA DE SPOILER]

Wanda Maximoff é filha do supervilão Magneto e irmã de Pietro Maximoff (o herói Mercúrio). Órfã de mãe e abandonada pelo pai desde cedo, WandaPietro assim que começaram a demonstrar poderes mutantes (controlar a magia do Caos, para a Feiticeira, e ter super velocidade, para Mercúrio), logo foram abordados por Magneto que não revelou sua paternidade e os convidou para integrar a Iniciativa Mutante (um grupo liderado pelo vilão que buscava a supremacia mutante contra os humanos).

Após algum tempo, se arrependeram de entrar na Iniciativa e buscaram redenção entrando para a equipe dos Vingadores. Após mais algum tempo, também se filiaram à equipe dos X-Men.

Na vida pessoal, Wanda casou com o herói androide Visão. Após tantos anos de trabalho como heroína e de relacionamento com o androide, a Feiticeira tenta ter filhos, mas sem sucesso. Seu desejo era tão forte de, ao menos uma vez na vida fazer algo de bom para si mesma com seus poderes, que ela evocou dois filhos. Porém, resultado de magia, seus filhos não eram reais e logo deixaram de existir. Nesse momento, Wanda começa a apresentar sinais de que não irá lidar com essa crise emocional, e é convocado um feitiço para que ela não se lembre disso.

A parte interessante para nós acontece na super saga “Vingadores: A Queda” (2005). O quadrinho começa com uma série de catástrofes que causam a morte do Homem-Formiga, do Gavião-Arqueiro e do Visão.

Ao final da saga, o Doutor Estranho revela que tudo isso foi causado pelo mal uso da magia pela Feiticeira. Quando ela evocou seus filhos, sua mente começou a entrar em colapso, o que a levou (inconscientemente) a matar seus companheiros (inclusive seu marido).

As ações de Wanda também levaram à destruição da equipe Vingadores e a uma série de eventos que levaram à saga “Dinastia M“, com grandes repercussões para todo o universo Marvel.

Kanye West é um rapper que dispensa apresentações. Filho de um ex-membro do Panteras Negras e de uma professora de inglês, o rapper foi criado próximo a Chicago e com 19 anos passou a rimar.

Lançando álbuns intensos e bem trabalhados, passou a ter repercussão mundial a partir do lançamento do álbum “College Dropout” em 2004, mesmo ano em que fundou seu selo musical G.O.O.D. Music (sigla para: Get Out Our Dreams, algo como Fazendo seus sonhos acontecerem) que hoje administra a carreira de diversos artistas incluindo Big SeanJohn LegendPusha TMos Def.

Seu trabalho se manteve estável até 2007, quando sua mãe faleceu em uma cirurgia estética. De lá para cá, todos perceberam grandes diferenças em sua carreira e em seu comportamento como artista.

Em 2008 lançou um de seus CDs mais tristes (e bonitos): “808 & Heartbreak” onde colocou toda sua tristeza (pela morte da mãe) no papel, que rendeu ao rapper a premiação de Álbum de Platina pela RIAA.

Na sequência, começaram a surgir diversas linhas polêmicas (e bem conhecidas pelo público) onde se chamava de Deus e falava de si mesmo em terceira pessoa. Assim como seu próprio comportamento mudou: ao mesmo tempo em que investia tempo, dinheiro e esforços produzindo a carreira de diversos rappers, assim como gerenciava uma série de projetos sociais envolvendo arte; seu mau comportamento ficou conhecido por todos.

Em 2009 passou a ser odiado por muita gente no episódio no VMA onde roubou o microfone da cantora Taylor Swift. Não satisfeito, o MC volta em 2016 e apresenta sua polêmica faixa “Famous” (parte do álbum “The Life of Pablo“) onde diz: “sinto que eu e Taylor ainda podemos transar. Porque? Porque fiz aquela vadia famosa“.

Foi em 2016 que o rapper foi internado por uma crise psicótica que o levou a agredir seu personal trainer. Antes disso Kanye já tinha mostrado alguns sinais de que não estava bem: disse em um show que um de seus melhores amigos, Jay-Z, havia enviado seguranças para matá-lo, desmarcou uma série de apresentações, brigou diversas vezes em seu Twitter e apoiou diretamente o presidente recém-eleito Donald Trump (o que foi visto pela comunidade negra americana como um ato impulsivo e que prejudicava a luta do movimento negro no país).

Seu psiquiatra revelou para o público, alguns dias depois de sua internação, que a crise foi um resultado de muitas horas má dormidas com falta de alimentação e hidratação necessárias, resultado de um cansaço mental provocado tanto pelo estresse profissional quanto pessoal (sua crise aconteceu poucos dias antes do aniversário de morte de sua mãe).

Na metade de abril deste ano, quase 16 meses após a crise, Kanye voltou às redes sociais dizendo que sente-se melhor, que esteve em tratamento psicológico todo esse tempo e prometeu entregar dois álbuns em Junho.

Tanto com a Feiticeira quanto com Kanye West fica nítido o esforço que ambos tem, através de seus trabalhos, em evitar com que outras pessoas passem pelas dificuldades que eles passaram ao longo de suas vidas. Para isso, criaram rotinas muito focadas e em diversos momentos, abriram mão de muitos desejos pessoais para alcançar seus objetivos.

Mas pelo excesso de esforço, foco maior nos outros do que em si mesmos, e uma série de sofrimentos pessoais não resolvidos, chegou o momento em que não aguentaram mais. Suas mentes estavam simplesmente esgotadas.

De quais maneiras pode-se prevenir em relação a isso? Com certeza não se pode prever se alguém passará por situações tão críticas assim ao longo da vida. Mas muitas coisas tem se mostrado úteis nesse sentido.

  1. Fale sobre seus problemas. Não importa se eles são de sua vida pessoal ou profissional, sempre fale sobre isso. Muitas vezes passamos por experiências difíceis que mal conseguimos falar sobre. Mas na medida em que os colocamos em palavras, fica cada vez mais fácil encontrarmos maneiras de lidar com eles. É sempre importante procurar profissionais de saúde e/ou amigos e familiares em momentos onde tudo parece estar desmoronando.
  2. Preste atenção em si mesmo. Em rotinas frenéticas e intensas, é difícil termos tempo para olharmos para nós mesmo. Mas existem uma série de sinais que nos ajudam a perceber se estamos indo bem ou não. Então mantenha um diário, busque exercitar meditação alguns minutos por dia e converse com as pessoas sobre o seu dia. É dessa forma que você consegue perceber, dia após dia, como você está.
  3. Você tem se sentido bem nos últimos tempos? Todos temos dias ruins, mas nem todos temos apenas dias ruins durante um longo período de tempo. Caso você olhe para trás e perceba que não tem feito nada prazeroso, tem se sentido mal na maior parte do tempo e tem ouvido falas como “você anda muito estranho”, vale a pena procurar um profissional para falar sobre isso. Isso não significa que você está louco, significa apenas que você está passando por um período difícil.
  4. Dê um tempo para si mesmo. É claro que a carreira artística demanda tempo, esforço, foco e dedicação. E muitas vezes, conciliar isso com outros trabalhos ou estudos é um desafio. Mas, ainda assim, procure dar um tempo para si mesmo. Ao menos durante uma hora do dia vale a pena fazer algo que te dê prazer, mesmo que não vá te trazer qualquer resultado profissional. Procure aquilo que você gosta de fazer (ler quadrinhos? desenhar? assistir uma série?) e faça! E, de tempos em tempos, procure tirar ao menos um dia para você fazer o que gosta: sair com seu namorado(a), ir ao cinema, ir ao parque, etc.

 

Todos sabemos que a carreira artística é exaustiva e que a todo momento somos cobrados (inclusive por nós mesmos). E também sabemos o quanto problemas pessoais interferem em nossa vida profissional, ou até mesmo como nossa vida pessoal interfere em nossa vida pessoal. E é justamente por isso que precisamos cuidar de nós mesmos e daqueles ao nosso redor.

Tem dúvidas sobre esse assunto ou gostaria de falar mais sobre sua carreira com alguém? Me envie um e-mail: arthurventurivasen@gmail.com!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.